draculaDrácula é um dos melhores livros da história da literatura de terror, se não o melhor. Assim, é lógico que inspirou tantos filmes ao longo dos últimos anos. Destes, é possível que a mais famosa seja a versão de 1931, no entanto, não é o melhor, não há dúvida sobre isso, mas é o mais amado por muitos cinéfilos (para mim também).

Analisar um filme antigo, não e uma das tarefas mais fáceis, ainda mais com 85 anos de diferença. Vocês, caros leitores, tem a noção exata de toda transformação que o cinema passou, se modernizou, se atualizou, devido a isso, se conseguirmos entrar na nossa máquina do tempo e analisar as dificuldades, a transição do cinema mudo para o falado, vai ter em Drácula uma experiência bem interessante.

Nesta primeira adaptação oficial (Nosferatu de Murnau de 1922, não detinha os direitos autorais) um dos melhores diretores do cinema mudo, Tod Browning condensa o conto de Stoker ( são mais de 400 paginas ) e nos apresenta Conde Drácula, um vampiro que mora em um castelo, na Transilvânia, com três esposas. Ele decide se mudar para Londres, onde conhece Mina e resolve transformá-la em uma morta-viva. Porém, ele não contava com a inteligência e a crença do doutor Van Helsing (que nada tem a ver com a caracterização ridícula de Hugh Jackman), um velho destemido a estragar os planos do perverso vampiro.

Browning carrega o filme de forma bem cadenciada, elevando a qualidade dos planos e dos enquadramentos, e deixando o grande astro dessa Era, Bela Lugosi brilhar e se transformar em um ícone. Seu Drácula, carrega um charme macabro, de olhar fixo e amedrontador, sua atuação não precisa de sangue, de violência descerebrada e nem dos caninos, Lugosi tem o timming perfeito das cenas, prestem atenção na sua mão contorcida na clássica cena quando Drácula levanta do caixão, toda essa iconografia o fez ser sepultado na vida real, vestido de conde Drácula.

Um filme clássico, longe de ser maravilhoso, mas que carrega uma aura incrível, de uma época onde tudo era mais fácil e palpável, onde ate um ser mítico como Drácula pode parecer real. Isso é historia, isso é cinema.

Em cartaz na Mostra Monstros da Universal.

DEIXE UM COMENTÁRIO