indignacao-cartazPara não ser recrutado e enviado para a guerra na Coreia, Marcus consegue uma vaga na Universidade de Ohio. Mas não é bem assim. Marcus perdeu primos nessa mesma guerra, sempre foi um aluno nota 10 e não é só do serviço militar que ele escapa indo para a universidade, mas também do seu pai autoritário, um açougueiro kosher. Em 1951 tudo parece sombrio. Não só nos Estados Unidos. Não só para um judeu pobre de Nova Jersey. Na universidade, Marcus faz amizade com seus companheiros de quarto, dois judeus não-ortodoxos. Mas eles não são tão legais quanto parecem. Ele trabalha na biblioteca do campus e conhece Olivia. Eles saem pra jantar. Mas Olivia não é bem o que se espera de uma garota nos anos 50. Marcus precisa explicar ao diretor (ou reitor?) porque decidiu mudar de quarto. Mas a conversa com o reitor (ou diretor?) mais parece um interrogatório. Marcus desmaia. Mas não é bem assim.

Estrelado por Logan Lerman, protagonista da franquia Percy Jackson, a produção americana e brasileira da RT Features de Rodrigo Teixeira (de Frances Ha e Alemão) propõe uma reflexão sobre repressões morais e sexuais contextualizada nos EUA dos anos 1950, com estreia na direção do veterano produtor e roteirista James Schamus. Mas o longa, baseado no romance homônimo de Philip Roth, não reflete apenas um tempo de repressões. É também um filme redondo sobre como o amor sobrevive, apesar da dor e da angústia em ambientes de constante desejo e submissão.

Em cartaz na Mostra Panorama do Cinema Mundial.

DEIXE UM COMENTÁRIO