O coletivo Manguinhos em Cena – grupo que nasceu de um projeto de teatro com moradores da região – invade outros territórios e promove discussão e debate sobre a vida do autor francês Antonin Artaud. O poeta, ator, diretor e dramaturgo faleceu em 1948, deixando várias obras teatrais de grande importância para a sociedade. Artaud era conhecido como “louco”, pois conseguia expressar, por meio de sua arte, as angústias sociais e humanas. A fim de promover um intercâmbio cultural, o Manguinhos em Cena convida o coletivo artístico de mulheres Amo Crew – Afro Mulheres de Opinião, de Duque de Caxias, que realiza performances com grafite em espaços públicos da cidade.

A união dos coletivos e o resultado do trabalho de pesquisa podem ser vistos nos dias 12 de agosto – sábado, às 16h, na Lira de Ouro-Ponto de Cultura Sociedade Musical e Artística, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense – e no dia 19, às 16h, no CRJ, em Manguinhos. As apresentações são gratuitas com retiradas de senhas uma hora antes do evento.

O processo de criação do espetáculo aconteceu em quatro encontros. Os grupos reuniram-se para estudar a obra de Antonin Artaud e trocar experiências artísticas com base no livro “Eis Antonin Artaud”, de Florence de Meredieu, lançado pela editora Perspectiva em 2007. A preparação e a orientação para conclusão do trabalho foram de Jefter Paulo, diretor do Instituto Nossa Senhora do Teatro. Ele é referência nos estudos sobre Antonin Artaud, já que assinou a direção geral do espetáculo “Fragmentos ou Manifesto da Crueldade”, no qual é relatada a militância social com cenas sobre o genocídio de jovens negros, a violência contra mulheres e outros conflitos.

No início dos encontros com os grupos para a criação do projeto, Jefter Paulo provocou os integrantes de forma lúdica e lançou um desafio: “dediquem-se a perceber suas jaulas, potencializem a entrega e deixem o inconsciente jorrar, auxiliado pela razão. Sem sombra de dúvidas, as jaulas serão explodidas através da arte, e, assim, outras pessoas poderão, também, romper com suas amarras”.

O espetáculo – com 30 minutos de duração e 17 pessoas em cena – propõe a interatividade de atores com o público no mesmo lugar, ideia defendida pelo autor Antonin Artaud. No espaço com formato de arena, haverá uma tela para projeção do vídeo com making of dos encontros dos coletivos Manguinhos em Cena e Amo Crew, durante o processo de criação da montagem teatral, ao som da música “Maluco Beleza” de Raul Seixas. Simultaneamente, grafiteiras do Amo Crew começam a desenvolver a sua arte numa tela. E numa jaula, atores vão expressar suas angústias e suas loucuras, convidando o público a fazer o mesmo. O material usado em cena é reciclável, de baixo custo e muito criativo como uma tenda, uma lata de jet vazia, espelhos e argila.

Tornar a obra de Antonin Artaud acessível a todos só foi possível graças ao edital Territórios Culturais Lab – Intercâmbio pesquisa e experimentação, do Programa Territórios Culturais RJ / Favela Criativa, da Secretaria de Estado de Cultura em parceria com a Light e a Agência Nacional de Energia Elétrica. A meta do programa é promover o encontro entre projetos e iniciativas culturais, no qual jovens de territórios populares do Estado são os protagonistas.

Serviço
Intercâmbio cultural sobre a obra do teatrólogo francês Antonin Artaud – Com os Coletivos Manguinhos em Cena e Amo Crew
Data e hora: 12 de agosto – sábado, às 16h
Local: Lira de Ouro-Ponto de Cultura Sociedade Musical e Artística – Rua José Veríssimo, 72 – Vila Meriti em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense – Tel da produção executiva do espetáculo – 99067-0015
Data e hora: 19, sábado, sábado, às 16h
Local: Centro de Referência da Juventude (CRJ) – Av. Dom Hélder Câmara, 1.184 – Manguinhos
Tel – 2334-8910
As apresentações são gratuitas com retiradas de senhas uma hora antes do evento.

DEIXE UM COMENTÁRIO