Quando a liberdade parece mais uma prisão. Esse é o mote de CORPO DELITO, de Pedro Rocha, que será exibido do Dok Leipzig, um dos principais e mais antigos festivais de documentários do mundo, a partir do dia 30, na Alemanha. No longa, Ivan (Ivan Silva), de 30 anos, acaba de sair da cadeia depois de cumprir uma pena de oito anos. De volta ao convívio da esposa, Gleice (Gleiciane Gomes), e a filha, Glenda, ele ganha a chance de retomar a sua rotina aos poucos, já que está em regime de liberdade condicional e sendo vigiado através da tornozeleira eletrônica, que o proíbe de ter uma vida noturna e de fazer trajetos não autorizados pela justiça.

À medida que o tempo passa, Ivan se incomada cada vez mais com a liberdade limitada e oscila constantemente entre o dever de ficar em casa e o desejo de ganhar as ruas. As lembranças da juventude aventureira ganham ainda mais força com a presença de Neto, um jovem de 18 anos que leva a mesma vida que de Ivan, antes do seu encarceiramento. Nas horas vagas, os dois curtem a semiliberdade de Ivan fumando maconha, ouvindo rap e assistindo a filmes de ação na TV. Ivan ainda é atraído pelas festas e pelas aventuras da cidade, mas depois de oito anos preso, ele também já sabe que violar a lei tem um preço alto.

A contradição de uma liberdade monitorada intensifica ainda mais este conflito. Dirigido por Pedro Rocha e roteirizado por Diego Hoefel, o longa chega aos cinemas no dia 7 de dezembro pelo Projeto Vitrine Petrobras. Antes disso, o filme será exibido na Mostra Contemporânea Brasileira do Forumdoc.Bh, que acontece em Belo Horizonte de 23 de novembro a 3 de dezembro.

 CORPO DELITO é um filme híbrido, que se vale tanto de recursos do documentário observacional quanto do roteiro de ficção. O conflito e a tensão dramática do filme conduzem essa experiência aos moldes da ficção, enquanto a irregularidade de tal curva lembra ao espectador de que ele está diante de uma matéria estranha, frequentemente aquém do que se espera de uma ficção propriamente dita. A estética adotada tenta potencializar a experiência de encontro do espectador com o protagonista – um homem com um passado criminoso sobre quem todos formularão opiniões e julgamentos, ao mesmo tempo em que descobrirão que o desconhecem profundamente – explica o diretor.

Serviço:
Os ingressos são vendidos a preço reduzido, através da bilheteria ou “Cartão Fidelidade SESSÃO VITRINE PETROBRAS” http://www.sessaovitrine.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO