Há vida no fim do túnel para artistas que desejam ter independência e empreender com sabedoria. É com essa premissa que o Espaço Sideral abre a quarta e última edição do projeto com o tema “Empoderamento Digital”, nos dias 12 e 13 de outubro, no CCBB, com entrada gratuita. Ao longo das edições, o projeto, que iniciou em julho, trouxe até agora para a sala 26 do CCBB (4º andar) cerca de mais de 400 pessoas interessadas em saber como a tecnologia pode ajudar os artistas a ganharem espaço de uma forma diferente e menos custosa.

Na quinta, dia 12, acontecerão duas oficinas: “Mapeamento e visualização de dados”, com o pesquisador de arte digital e eletrônica Igor Abreu, e “Empreendedorismo Digital”, com o grupo PyLAdies – que tem como ideal ajudar mulheres a serem protagonista da comunidade de código aberto Python. Depois, o evento abre debate com os temas “Mapeamento e transformação social” e “(Re)conhecendo territórios pela visualização de dados” com as presenças de Sil Bahia (OLABI/Afroflix) e Clara Sacco (Data Labe Maré), que encerram as atividades do dia.

Já na sexta, dia 13, dois representantes do coletivo Geração Perdida de Minas Gerais, Vitor Brauer e Jonathan Tadeu, aterrissam no Rio de Janeiro para a Masterclass mais do que especial que falará do uso de diferentes dispositivos digitais para viabilizar uma turnê de forma independente, desde a produção musical das faixas até o merchandising, além do registro e a difusão do trabalho. Em tempo: a dupla conseguiu recentemente produzir a segunda tour chamda”Sem Sair na Rolling Stone”, de 21 e abril a 13 de agosto, onde passaram por 18 capitais (Rio/RJ , São Paulo/SP, Curitiba/PR, Campo Grande/MS, Florianópolis/SC, Porto Alegre/RS, Goiânia/GO, Brasília/DF, Porto Velho/RO, Rio Branco/AC, Vitória/ES, Salvador/BA, Aracaju/SE, Maceió/AL, Recife/PE, João Pessoa/PB, Natal/RN e Fortaleza/CE), fazendo contatos utilizando a tecnologia pra marcar shows e viabilizar a ideia.

PROGRAMA OUTUBRO:
EMPODERAMENTO DIGITAL
12/10 (quinta-feira)
13h-14:30h: OFICINA 1 – Mapeamento e Visualização de dados – com Igor Abreu
16h-17:30h: OFICINA 2 – Empreendedorismo Digital – com Isis PyLadies
18:30h-20:30h – Debate: Mapeamento de Dados e Transformação Cultural – Sil Bahia (OLABI/Afroflix) e Clara Sacco (Data Labe Maré) conversam sobre a importância de iniciativas de inclusão sociocultural e o reconhecimento de territórios por meio da visualização de dados.

13/10 (sexta-feira)
17:30h: Master Class Faça sua própria turnê – Masterclass com Vitor Brauer e Jonathan Tadeu sobre o uso de diferentes dispositivos digitais para viabilizar uma turnê de forma independente, desde a produção musical das faixas até o merchandising, o registro e a difusão do trabalho.
19:30: Pocket Show: Victor Brauer + Jonathan Tadeu + Nathanne Rodrigues.

Sobre o projeto: Desde agosto o projeto Espaço Sideral vem ocupando o quarto andar do CCBB mostrando alternativas reais que usam tecnologia a serviço da cultura. A programação foi pensada para um público da era pós-digital e que é realizada, em boa parte, por eles mesmos, representados por artistas e profissionais autônomos, que lidam com a modernidade do seu tempo – não por acaso, a premissa do projeto é Tecnologia e Autonomia. “Discutir sobre o pós-digital é uma demanda contemporânea nesse tempo em que a intersecção do digital com o real requer novos posicionamentos da sociedade. O projeto Espaço Sideral propõe reflexões sobre as possibilidades oferecidas pela tecnologia no que diz respeito à empreendedorismo, produção e distribuição de conteúdo culturais”, avalia Fábio Cunha, Gerente Geral do CCBB Rio.

A programação foi pensada para um público da era pós-digital e que é realizada, em boa parte, por eles mesmos, representados por artistas e profissionais autônomos, que lidam com a modernidade do seu tempo – não por acaso, a premissa do projeto é Tecnologia e Autonomia. Os assuntos sempre divididos a cada mês: Tecnologia e Autonomia (dias 13 e 14 de julho), Música Independente (dias 10 e 11 de agosto), Cidades Criativas (dias 14 e 15 de setembro) e Empoderamento Digital (dias 12 e 13 de outubro).

(Em tempo: A era pós-digital explica-se pela presença da tecnologia digital hoje ser tão ampla e onipresente que, na maior parte do tempo, nem notamos que ela está lá, atualmente não há diferença entre mundo digital e mundo real, entre on e offline. Está tudo junto.)

A ideia do Espaço Sideral foi nascendo à medida que seus integrantes produziam seus projetos, em vários coletivos e movimentos que atuam nas diferentes zonas da cidade do Rio de Janeiro e que têm como premissa a ocupação de espaços públicos, no melhor estilo “faça você mesmo”. “Quermesse”, “Faz na Praça”, “Viaduto Laranjeiras”, “Festival Intersessão”, “Rádio Libertá” e “Subsolo” são alguns dos movimentos que foram referência para o Espaço Sideral. O norte utilizado pela equipe foram as artes visuais, as novas sonoridades e experimentações da música independente e o creative coding. “Pela primeira vez, vários desses produtores e artistas estão atuando dentro de um espaço cultural institucional, entendendo o ambiente do CCBB como espaço público e democrático que também deve ser ocupado e ressignificado”, diz Victor Belart, coordenador de comunicação.

“Desejamos mostrar, de forma prática e lúdica, que a criação e a difusão de serviços e produtos culturais e artísticos se tornam acessíveis na sociedade da informação que vivemos hoje, não sendo necessários investimentos de alto custo, mas criatividade, conectividade em redes, acesso ao conhecimento e empoderamento digital”, finaliza a coordenadora do projeto Gisele Andrade, da produtora Iluminura Ideias e Ideais.

Serviço:
Projeto Espaço Sideral – Quarta edição – Empoderamento Digital
Local: CCBB (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro)
Funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h.
Datas: de 13 de julho a 13 de outubro (quintas e sextas)
Horário do show dia 13: 19:30
Horários: consulte a programação
Entrada Gratuita, senhas distribuídas 1 hora antes
Lotações: 90 lugares (sala 26)
Horários da Bilheteria: Das 9h às 21h. (tel.: 3808-2052)
Classificação: 12 anos
Acesso para pessoas com deficiência: Sim

 

DEIXE UM COMENTÁRIO