E foi nessa véspera de feriado de finados, que o Green Day bateu ponto mais uma vez no Rio de Janeiro com uma noite de muito Punk Rock. Quem abriu a noite foi o punk melódico e enérgico do The Interrupters, num pocket show cheio de clássicos da banda que é de Los Angeles. Seguindo um estilo Simple Plan misturado com Jonas Brothers, o grupo esquentou a plateia com um som contagiante antes da atração principal subir ao palco.

Antes de o Green Day entrar em cena, quem deu show foi o público ao som de “Rhapsody” do Queen.  Enfim, os donos da noite subiram ao palco com a turnê Revolution Radio. Logo de inicio, Armstrong arrumou um tempinho para fazer uma critica ao governo de Trump.

Mesmo com a acústica ruim (em alguns momentos não se entendia nada do que Billie Joe Armstrong cantava), os riffs e drums ensurdecedores da banda ocupavam a casa relativamente cheia.  No setlist: “Know your enemy”, “Revolution Radio”, “Basket Case” , When I come around” , “Walk Alone” e “St. Jimmy by Green Day” entre outras.

As famosas rodinhas de show de rock dos anos 90 se aglomeraram pelo espaço, com direito a muita bateção de cabeça, em meio a uma bagunça organizada, enquanto Billie Joe brincava de ser maestro com o público, aliás, a animação era nítida, levando as musicas nas palmas e muitos gritos de “Hey Oh” e declarações de amor pela cidade maravilhosa, Billie gritou inúmeras vezes, “Rrrioo!!! “

Durante o show era possível ver muitas crianças fãs da banda, comprovando que filho de roqueiro mantem o legado da família.

Com uma pequena pausa para o jazz, (pequena mesmo), o show foi agraciado pela leveza e beleza do gênero musical no tom do saxofone de Jason Freese com direito a “Garota de Ipanema”.

Animação aguçada do público que foi ao delírio durante a noite toda retratou no palco a energia da banda. Com muitos jogos de luzes e explosões, a turnê de Revolution Radio foi aberta no Rio de Janeiro com um show, literalmente, quente!

*fotos feitas pelo celular

DEIXE UM COMENTÁRIO