Rúcula com tomate seco é a pizza preferida de Pablo (Arthur Vinciprova) e Suzana (Juliana Paiva), casal que se conhece na sala de espera da clínica psiquiátrica do pai dele e marca o primeiro encontro na pizzaria, bem ao gosto dos jovens que representam. O sabor meio exótico é também a metáfora do relacionamento dos dois, algumas vezes amargo, como a rúcula, outras doce, como o tomate. Baseado na peça de teatro homônima escrita por Arthur Vinciprova, a comédia romântica “Rúcula com Tomate Seco”, produzida pela Venkon Produções e Maiss Entretenimento, estreia no dia 23 de novembro.

Escrito e dirigido por Vinciprova, o filme mostra de forma não linear todo o ciclo do relacionamento do casal: o início, quando se conheceram, os momentos de paixão, o término e o reencontro. Após três anos de namoro, e há seis meses separados, Arthur e Suzana se esbarram na boate e vão parar em um quarto de motel de beira de estrada, onde embarcam em uma longa e divertida DR.

O sucesso da peça, que ficou em cartaz de 2013 a 2017, levou Arthur a transpor a história para o telão, incentivado pelo público e amigos, que viam uma estética de cinema na montagem. Uma das referências para a versão cinematográfica é “Pequeno Dicionário Amoroso”, de Sandra Werneck, clássico lançado há 20 anos e que fez enorme sucesso ao contar a história do amor de um casal em verbetes. Daniel Dantas, que formava o par com Andréa Beltrão, vive o pai de Pablo, convite de Arthur em uma clara homenagem ao filme predecessor. “Queria muito ter o Daniel, como uma forma de homenagear mesmo o ‘Pequeno Dicionário’, que tem um estilo narrativo parecido com o nosso e foi uma inspiração na adaptação para o cinema”, conta.

Além de Daniel, também estão no elenco Gisele Fróes, Camila Amado e Rafael Zulu, que se prepara para viver o polêmico papel de amante do médico interpretado por Eriberto Leão na novela “O Outro Lado do Paraíso”. Fã da peça e amigo de Arthur, Zulu ganhou o papel escrito especialmente para ele, justamente por seu envolvimento com o espetáculo. A outra participação estelar coube ao cantor sertanejo Lucas Lucco, que vem se dedicando cada vez mais à carreira de ator.

Já para viver a Sussu, apelido de Suzana no filme, o nome de Juliana Paiva foi o primeiro que veio à cabeça de Arthur e de outros membros da produção. “Na época das filmagens, ela tinha acabado de fazer a novela “Totalmente Demais”, em que vivia a Cassandra, uma personagem meio maluquinha que tinha tudo a ver com a Suzana. Quando comecei a imaginar o filme, Zulu, eu e a produtora de elenco pensamos logo nela”, relembra.

Fenômeno nas redes sociais, com seis milhões de seguidores, Juliana está muito à vontade como Suzana, uma jovem que vive os dilemas do namoro, ao mesmo tempo vulnerável às instabilidades de toda mulher. “Acho que todo mundo vai se identificar. É a história de um casal que namorou, separou, e se reencontra para aquele momento em que se pergunta: por que não deu certo? É para todo mundo rir, se emocionar, e curtir uma boa história”, comenta.

De fato, o filme promete trazer muitas emoções à tona. No teatro, Arthur contou que as pessoas se identificavam demais com as idas e vindas de Pablo e Suzana, principalmente casais, não apenas jovens, mas de todas as idades. “Teve uma história muito bacana de uma mulher que foi assistir à peça com o ex-marido e a filha, e acabaram reatando a relação. È muito legal ver esta identificação do público com a história”, comemora.

DEIXE UM COMENTÁRIO