Estreia na CAIXA Cultural Rio de Janeiro, em 10 de setembro (quinta-feira), o espetáculo Amores difíceis, da Súbita Companhia de Teatro, de Curitiba. Na peça, quatro atores buscam referências em cenas teatrais clássicas de autores como William Shakespeare, Federico García Lorca e Anton Tchecov para encenar o conto Aventura de um esposo e uma esposa, de Ítalo Calvino – que narra o dia a dia de um casal que praticamente não se encontra. Pela primeira vez no Rio de Janeiro, o grupo fará seis apresentações até o dia 19 de setembro, de quinta a sábado, sempre às 19h.
 
Em Amores difíceis, os artistas falam sobre o amor e criam um jogo que questiona os limites entre realidade e ficção, entre personagens e atores. “Buscamos redimensionar o cotidiano colocando uma lente de aumento nos pequenos gestos da nossa rotina. Olhamos para o amor e seus embates com a liberdade que o tema carrega, na tentativa de considerá-lo como algo a ser descoberto”, define Maira Lour, que assina a direção e dramaturgia.
 
A passividade e a dureza presentes em A gaivota, de Tchecov, em contraponto com a passionalidade e a fúria de Bodas de sangue, de García Lorca, permeiam o espetáculo e geram reflexões nos próprios atores em cena. Afinal, o que realmente sabemos sobre o amor?
 
A abordagem de um tema tão comum nas artes revela o desafio de compreender sua amplitude de uma forma autoral. A assinatura cênica da Súbita Companhia de Teatro imprime autenticidade à poética do espetáculo, que é marcada pela pesquisa continuada em teatro físico e dramaturgia do gesto.
 
O premiado cenógrafo Fernando Marés e o iluminador Beto Bruel criam ambientes que demarcam a realidade e a ficção. Uma grade de luz sobre um pequeno palco angulado no centro do espaço cênico revela a metalinguagem tratada no espetáculo. Ali acontecem as cenas da ficção, ponto de partida para os questionamentos que acontecem numa área externa que remete a uma sala de ensaios, mesclando os ambientes e encurtando a distância entre arte e vida.
 
A trilha sonora criada por Vadeco sensibiliza o público em momentos pontuais e traz atmosferas intensas, passando por sensações de frieza, paixão, rotina, desilusão e desespero presentes no cotidiano de qualquer casal.
 
O espetáculo estreou em 2013, em Curitiba, e participou de diversas mostras e festivais. Recebeu o prêmio de melhor iluminação no 10º Festival de Teatro da Amazônia e foi indicado ao Troféu Gralha Azul nas categorias melhor espetáculo e melhor direção (para Maíra Lour).
 
Oficina:
Além do espetáculo, no dia 19 de setembro (sábado), às 13h30, será ministrada uma Oficina de Sensibilização Teatral, com 4 horas de duração, em que a companhia compartilhará algumas metodologias de criação. Serão oferecidas 20 vagas para estudantes de teatro e atores a partir de 16 anos. Para se inscrever, basta enviar e-mail com o assunto “Oficina Caixa Cultural” para contato@subitacompanhia.com, com nome completo e número de celular, até o dia 16 de setembro. Os participantes realizarão exercícios de preparação e prontidão do corpo para a criação, expressão corporal, descoberta de repertório de movimento e improvisação.
 
A companhia:
Em 2007, a atriz Janaina Matter, a diretora Maíra Lour e a produtora Michele Menezes se uniram na criação da Súbita Companhia de Teatro, com a proposta de fazer arte sob um ponto de vista colaborativo, contemporâneo e autoral. Com outros artistas, apostam na intensa pesquisa teatral como fonte de inspiração, manutenção e refinamento da criação artística. No repertório, estão as peças “Diga aonde dói” (2008), “Coração de congelador” (2010), “Meus olhos estão degringolando” (2011), “Vertigem” (2011), “Porque não estou onde você está” (2012), “Amores difíceis” (2013), “Extraordinário cotidiano” (2013) e “Câmera escura” (2014).
 
Serviço:
Espetáculo Amores Difíceis
Duração: 60 min
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena
Endereço: Avenida Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Temporada: de 10 a 19 de setembro de 2015 (quinta-feira a sábado)
Horário: 19h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Lotação: 226 lugares (mais 4 para cadeirantes)
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Classificação Indicativa: 16 anos
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here