caçaRemakes. Reboots. Revivals. Essas palavras norte-americanas tem duas características em comum: (1) começarem com “re” e (2) causarem diversas reações aos fãs, que vai de um ódio e preconceito sem nem ao menos ter visto a produção até um amor por poder reencontrar tudo que idolatra mais uma vez na mídia.

Mas infelizmente, a segunda reação é muito rara, o que faz com que todo mundo dê um passo para trás quando escuta essas palavras. Só que este não é o caso de Caça-Fantasmas. O longa respeita o passado com diversas aparições do elenco original, mas sempre trazendo o frescor de Paul Feigg e Melissa McCarthy.

Seja pelo famoso “Quem você vai chamar?”, pela logo ou por um enredo que se repete, muito da franquia original foi pincelada nessa “reimaginação” da produção de Ivan Reitman. A grande e óbvia mudança fica pelo elenco.

E o que para alguns era motivo de pânico, na verdade foi um dos pontos altos. Todas as quatro possuem uma dinâmica muito boa, mas sem descartar o tipo de amizade que os “ghostbusters” originais possuía, mas ai chegamos no breve “escorregão” do filme.

A personagem de Leslie Jones, Patsy, com a divulgação dos trailers foi motivo de críticas. O motivo? Em uma reimaginação em que levanta a bandeira para o feminismo, preferiram manter a mesma fórmula, isto é, um grupo de brancos repletos de diplomas aceitam um negro sem especialização nenhuma no grupo.

A diferença de Patsy com as outras quatro é posta na mesa diversas vezes, mas o desenvolvimento dela, que possui algumas das melhores cenas, faz com que qualquer crítica ao papel passe desapercebido, ou melhor, perdoado.

Então caímos no elenco, que assim como em “Missão Madrinha de Casamento” também de Feigg, os atores não se sobrepõem uns aos outros, mas se completam. Todas tem seu momento, não apenas quando se fala nelas, mas também com Chris Hemsworth. Kevin não é apenas um bom alívio cômico, mas também uma leve crítica social da visão das secretárias.

O grande destaque fica para o recurso que não possuíam em 1984: efeitos especiais de ponta. Toda a produção gráfica de “Caça-Fantasmas” traz cenas de cair o queixo. Seja com o design das aparições, a fotografia e direção. Aqui, o 3D não se torna apenas um agrado, mas uma experiência bem mais interessante.

Com tantos rostos conhecidos, como Bill Murray e Sigourney Weaver, “Caça-Fantasmas” promete agradar não apenas os fãs do clássico dos anos 80, mas atrair uma geração que infelizmente não sabe cantar a música “Who you gonna call?”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here