barbarella

“É uma maravilha, maravilha de mulher. Você é tão selvagem e maravilhosa.” Sob o som de Bob Crewe e Charles Fox e com uma das cenas mais sexys do cinema, em que Jane Fonda tira a roupa em gravidade zero, entramos no mundo de “Barbarella”, uma mulher, que como já diz a música tema, é maravilhosa e não está dando a mínima para o que acham dela.

Para alguns o símbolo do feminismo e liberdade sexual, para outros apenas mais uma forma de objetificação da mulher, o fato é que “Barbarella” agora se encontra no catálogo da Netflix. Mesmo com algumas atuações toscas, a comédia erótica é uma aventura psicodélica que parece ter sido filmada a base de LSD.

O longa que é baseado em uma história em quadrinhos de 1962, pode chocar alguns por tratar sobre sexo de uma forma tão aberta – lembrando que o filme é de 1968. Mas também consegue entreter com boas risadas e claro, fazer lembrar que a atriz de “Grace & Frankie”, série original da Netflix, já foi um sex symbol de cair o queixo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here