cartaz fl 
Fomos ensinados que “quem não belisca, não petisca”, ou em um linguajar melhor, “tentar é melhor que não fazer”. Mas para Florence, o ensinamento foi outro: “Podem dizer que não sabia cantar, mas ninguém poderá dizer que não cantei”.
 
É com esta frase que o filme “Florence Quem É Esta Mulher?” se sustenta. Estrelado por Meryl Streep, Hugh Grant e surpreendentemente, Simon Helberg, o famoso Howard de The Big Bang Theory, o longa trata de uma história surreal e cômica, mas contada da forma mais séria possível.
 
O grande sucesso do filme é conseguir tratar a história real de Florence Foster Jenkins sem ridicularizá-la. Em diversos momentos temos a “falsa cantora” desafinando enquanto seu pianista faz caretas com a situação. Mas ao mesmo tempo que faz o público gargalhar, também o coloca para pensar na determinação de Florence e no amor e apoio de seu marido, St Clair, personagem de Hugh Grant.
 
E toda essa química que coloca o espectador em uma montanha russa de emoções apenas se firma pela tríade formada. Meryl, como sempre, está magnífica no papel, mas em nenhum momento rouba a cena dos seus companheiros. Grant, depois de tanto tempo, retorna para o telão, mostrando que ainda tem talento de sobra. E para os fãs da sitcom, Simon Helberg interpreta alguém totalmente diferente de Howard, conseguindo desvincular a pessoa do personagem que interpreta há nove anos.
 
Mas se não basta um elenco de peso e uma história curiosa para chamar a atenção do público, todo o ambiente criado pelos diretores de arte e fotografia fazem isso. O universo dos anos 30 é recriado de forma bela, desde os carros e prédios até os figurinos, cabelos e maquiagem.
 
Ironicamente, o que mais chama atenção de forma negativa também é o que mais tem de real: a voz de Florence. O longa opta pelo tempo todo usar os seus “falsetes”, mas o que poderia ser totalmente irritante, se torna um charme.
 
No fim, com tantas risadas, “Florence Quem É Esta Mulher?” não é bom apenas pelo seu elenco, ou pelo estilo, mas simplesmente por conseguir ser biográfico sem ser massante e mais ainda, por conter uma lição de vida.
https://www.youtube.com/watch?v=TL-QkAs9Vn4

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here