Audrey Hepburn, Elizabeth Taylor, Rita Hayworth, Brigitte Bardot, dentre tantas beldades, talvez, apenas, Marilyn Monroe se destaque quando se trata da mídia explorando sua imagem e sua história, não só na época em que estava viva, mas, principalmente, depois de morta.

Seja devido ao trágico fim, seus relacionamentos conturbados e abusivos, problemas psicológicos, ou até mesmo o talento que chegava a ser inacreditável devido a fama de “loira burra”. Tudo isso é favorável para recontar em cinebiografias, o que a atriz passou.

E dentre tantas, como a recente minissérie protagonizada por Kelli Garner, tem uma que se destaca pela semelhança da atriz escolhida, mas também por ter sido recentemente adicionada a lista de filmes disponíveis na Netflix.

Em “Sete Dias com Marilyn”, Michelle Williams vive uma Marilyn bem diferente do ícone sexy e alegre. Desta vez frágil e até infantil em alguns momentos, o longa tenta captar todos os problemas que circundavam a atriz e como cada um deles pareceu contribuir para o fim que teve.

O filme não se destaca apenas por causa de Michelle, mas as diversas participações, como Emma Watson, Judi Dench e até mesmo o recém oscarizado, Eddie Redmayne. O ator brilha no papel ao lado de Michele, como Colin Clark, contando a história dessa semana única na vida do motorista.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here