Durante a exposição fotográfica A lama – De Mariana ao mar, de Cristiano Mascaro e Pedro Mascaro, uma parceria entre o Paço Imperial, o Instituto Moreira Salles e a revista piauí, em exibição no Paço Imperial do Rio, acontece uma série de encontros para discutir, sob diferentes perspectivas, as causas, as consequências e os registros feitos a partir do maior desastre ambiental da história do Brasil: o rompimento da gigantesca barragem de rejeitos de minério de ferro, em Minas Gerais, pertencente à empresa Samarco, controlada por duas das maiores mineradoras do mundo – a brasileira Vale e a australiana BHP Billiton.

O último evento da série acontece no formato de uma oficina de fotografia aérea ministrada por Pedro Mascaro. Engenheiro de formação, Pedro atuou na área por oito anos até que se rendeu à fotografia, paixão antiga e inspiração herdada do pai, o fotógrafo documental Cristiano Mascaro. Pedro acompanhou Cristiano no registro de todo o leito do rio Doce, desde o local do rompimento da barragem, em Minas Gerais, até o mar, no Espírito Santo. As imagens da tragédia, que varreu o distrito de Bento Rodrigues, matou 19 pessoas e destruiu toda forma de vida ao longo de 650 quilômetros de extensão do rio Doce, foram feitas em terra e no ar, modalidade conduzida por Pedro.

Na oficina, o fotógrafo vai compartilhar essa experiência, percorrendo a exposição em cartaz para explicar como foi o processo de captação e de que maneira esse processo tem influência na história a ser contada por meio das imagens. Falará também sobre o funcionamento, a manutenção e 1 operação do equipamento necessário para registros de fotos aéreas.

Sobre o encontro
Data: 8 de novembro, terça-feira, 18h
Entrada franca
Local: Paço Imperial – Praça XV de Novembro, 48, Centro, Rio de Janeiro.

Sobre a exposição
A exposição A lama – De Mariana ao mar é resultado de uma parceria entre a piauí, o Instituto Moreira Salles e o Paço Imperial.

O registro fotográfico do percurso da lama da barragem de rejeitos de minério de ferro feito por Cristiano Mascaro, acompanhado de imagens aéreas produzidas por Pedro Mascaro com um drone, foi inicialmente publicado num portfólio da edição de julho da revista piauí.

As imagens, em foto e vídeo, não só evidenciam a permanência e a extensão do dano ambiental, como atestam que a fotografia documental associada ao compromisso jornalístico de produção de informações é fundamental para fazer a sociedade refletir sobre sua história. Agora, o material poderá ser visto em tiragens de grande formato, que revelam em detalhes a gravidade dessa tragédia humana e ambiental.

A mostra tem curadoria de Sergio Burgi, coordenador de fotografia do IMS, e estará aberta ao público até o dia 20 de novembro.

Serviço
Temporada: Em cartaz até 20 de novembro de 2016
De terça a domingo, das 12 às 19h
Local: Paço Imperial – Praça XV de Novembro, 48 Centro, Rio de Janeiro

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here