Um dos grandes destaques do festival de Sundance, o longa Doentes de Amor rapidamente se tornou um dos grandes queridinhos indie de 2017. Com um baixo orçamento de apenas 5 milhões de dólares o filme até o momento passou da casa dos 50 milhões de dólares, comprovando ser mais um grande sucesso produzido por Judd Apatow (Virgem de 40 Anos, Descompensada), que é o nome mais famoso envolvido na produção.

Livremente baseado em uma história real, o filme é escrito por Kumail Nanjiani e Emily V. Gordon e conta a história do relacionamento de Kumail (vivido pelo próprio roteirista), um jovem comediante paquistanês que mora na cidade de Chicago e Emily (Zoe Kazan) uma jovem estudante. O que poderia ser um simples relacionamento vira uma situação atípica, pois a família tradicional de Kumail espera que o jovem se envolva com uma paquistanesa e, além disso, uma inesperada doença de Emily acaba forçando o comediante com problemas de comprometimento a lidar com uma delicada situação, o convívio com os pais de Emily.

De cara podemos perceber que Doentes de Amor não é uma tradicional comédia romântica de garoto conhece garota, afinal essa não é uma comédia comum. O excelente o roteiro não segue a clássica estrutura de humor, construindo a cena até a piada, aqui não, tudo funciona de forma orgânica e verdadeira. E isso se prova competente também graças à construção e casting dos personagens, pois essa talvez seja a mais real, autentica e natural química de um casal vista no cinema em muitos anos. Como sempre a atriz Zoe Kazan (Será Que, Ruby Sparks) esbanja carisma em cena e faz todo o público se apaixonar por Emily, já Kumail Nanjiani (Silicon Valley) se prova como uma das grandes revelações da comédia atual.

Mas não são só os personagens principais que fazem do filme tão interessante, muito pelo contrário, suas relações com os personagens secundários (em especial suas famílias) geram alguns dos melhores e mais engraçados momentos do filme. Todas as dinâmicas dos jantares na casa da família Nanjiani, querendo a qualquer custo empurrar uma “boa” menina paquistanesa para seu filho são hilárias. Já os pais de Emily são vividos por Ray Romano (Everybody Loves Raymond) e Holly Hunter (O Piano), ambos em grande atuação, mostrando o contraste de personalidades de um casal em crise no relacionamento e precisa lidar com uma situação inesperada.

O trabalho do diretor Michael Showalter (Doris, Redescobrindo o Amor) é excelente construindo todos os elementos do filme de forma natural, permitindo que o público esteja totalmente investido emocionalmente na história para criar um impacto maior no segundo ato que é completamente original.

Não é sempre que podemos dizer que um filme consegue ser ao mesmo tempo um dos mais engraçados do ano e um dos que mais te satisfazem emocionalmente e sem dúvida Doentes de Amor é um filme que acerta em cheio nos dois quesitos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here