Motivada por uma série de reações xenófobas contra nordestinos, durante as eleições presidenciais de 2014, a atriz Quitéria Kelly, do Grupo Carmin, entrou em contato com a obra do Professor Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr., que escreveu o livro “A Invenção do Nordeste e Outras Artes”. Quitéria então compartilhou com os demais integrantes do grupo, o seu desejo de criar uma peça que contribuísse para a desconstrução da imagem estereotipada do Nordeste e do nordestino. Seria seu primeiro trabalho como diretora. Durante 2 anos de pesquisa, o grupo mergulhou nos questionamentos dos mecanismos estéticos, históricos e culturais que contribuíram para a formação de uma visão do nordeste brasileiro como um espaço idealizado, deslocado do processo histórico e imune ao impacto das grandes transformações sociais. A partir daí, os dramaturgos Pablo Capistrano e Henrique Fontes escreveram a auto-ficção “A Invenção do Nordeste”.

Em “A Invenção do Nordeste”, o Grupo Carmin discute o estereótipo em relação ao povo nordestino e quanto essa imagem é alimentada pelos próprios habitantes da região. Na trama, um diretor (papel de Henrique Fontes) é contratado por uma grande produtora para realizar a missão de selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Depois de vários testes e entrevistas dois atores norte-riograndenses (representados por Mateus Cardoso e Robson Medeiros) vão para a etapa decisiva, onde o diretor terá sete semanas para deixá-los prontos para o último teste. Durante o período de preparação, os atores refletem a respeito de sua identidade, cultura, história pessoal e descobrem que ser e viver um personagem nordestino não é tarefa simples. Afinal, existiria apenas uma identidade nordestina?

O espetáculo é uma obra de auto-ficção baseada no livro “A Invenção do Nordeste e Outras Artes” do Professor Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr., dirigida por Quitéria Kelly, com dramaturgia de Henrique Fontes e Pablo Capistrano, que propõe desenhar a trajetória hilária e por vezes conflitante da história recente do estabelecimento da região nordeste. Essa unidade sociopolítica e cultural com todas as suas individualidades e também todos os estereótipos alimentados por décadas pela literatura, cinema, música e artes visuais brasileiras.

Com bom humor, a peça busca contribuir para a desconstrução da imagem estereotipada do nordeste e do nordestino, trazendo a cena o debate sobre identidade e xenofobia.

Serviço
A Invenção do Nordeste
Local: Teatro SESI Centro ( Av. Graça Aranha nº 1, Centro)
Temporada: De 8 de outubro a 6 de novembro, segundas e terças, às 19h.
Ingressos:  bilheteria do Teatro e no site diverteingressos.com
Duração: 70 minutos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here