Na noite de 11 de novembro aconteceu a premiação da 20° edição do Festival do Rio, apresentado por Dira Paes e Eduardo Moscovis, mestres de cerimônia da entrega do Troféu Redentor 2018.

Nessa edição, parte do prêmio Felix, dedicado a filmes que abordam temas ligados a identidade de gênero, o troféu Suzy Capó – Personalidade Felix do Ano foi concedido a Saulo Amorim, advogado, presidente nacional da Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas (ABRAFH) e coordenador, no Rio de Janeiro, do Cores da Adoção, grupo de apoio à adoção.

O filme do diretor Jean-Luc Godard, Imagem e palavra, encerrou a programação do Festival do Rio 2018, no Estação NET Ipanema 2.

Confira abaixo os premiados:

O MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO do Festival do Rio 2018 foi Tinta Bruta, de Marcio Reolon e Filipe Matzembacher.⠀

MELHOR LONGA FICÇÃO PELO VOTO POPULAR – Deslembro, de Flavia Castro

MELHOR LONGA-METRAGEM DE DOCUMENTÁRIO – Torre das Donzelas, de Susanna Lira

MELHOR DIREÇÃO DE FICÇÃO – João Salaviza e Renée Nader Messora, por Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos⠀

MELHOR DIREÇÃO DE DOCUMENTÁRIO – Susanna Lira, por Torre das Donzelas

Menção Honrosa Direção de Documentário – Daniel Gonçalves, por Meu Nome é Daniel ⠀

MELHOR LONGA DOCUMENTÁRIO PELO VOTO POPULAR – Prêmio de Mídia Canal Curta no valor de 100 mil reais: Torre das Donzelas, de Susanna Lira⠀

MELHOR ATOR – Shico Menegat, por Tinta Bruta, e Valmir do Côco, por Azougue Nazaré⠀
MELHOR ATRIZ – Itala Nandi, por Domingo⠀
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – Eliane Giardini, por Deslembro⠀
MELHOR ATOR COADJUVANTE – Bruno Fernandes, por Tinta Bruta
MELHOR ROTEIRO – Filipe Matzembacher, Marcio Reolon por Tinta Bruta⠀
MELHOR FOTOGRAFIA – Renée Nader Messora, por Chuva é Cantoria na Terra dos Mortos⠀
MELHOR MONTAGEM – André Sampaio, por Azougue Nazaré ⠀
PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI (com apresentação de Lúcia Murat) – Azougue Nazaré, de Tiago Melo⠀
Melhor Curta pelo VOTO POPULAR – Você não me conhece, de Rodrigo Séllos.

MELHOR CURTA pelo júri do Festival do Rio foi O Órfão, de Carolina Markowicz.

Mostra Novos Rumos
⠀MELHOR CURTA – Lembra, de Leonardo Martinelli⠀
MELHOR FILME – Ilha, de Ary Rosa e Glenda Nicácio⠀
PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI – Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diogenes⠀

PRÊMIO FELIX 2018⠀
⠀Prêmio Especial do Júri: Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diogene⠀
Melhor Longa Doc: Obscuro Barroco, de Evangelia Kranioti⠀
Melhor Longa Ficção: Sócrates, de Alex Moratto⠀
O troféu SUZY CAPÓ – Personalidade Felix do ano foi para Saulo Amorim, presidente nacional da Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas.
Prêmio Mostra Geração foi para Shade – Entre bruxas e heróis, de Rasko Miljkovic, filme da Sérvia em parceria com a Macedônia.

A FIPRESCI premiou Deslembro, de Flavia Castro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here