Quem nunca ouviu falar no Queen, que atire a primeira pedra. Com a estreia do filme Bohemian Rhapsody,  a banda britânica atemporal, que nunca foi esquecida aparece mais uma vez nas manchetes.  Formada por Brian May, Freddie Mercury, John Deacon e Roger Taylor, a banda de rock permaneceu na sua formação original desde 1970, quando foi criada, até 1991, ano que a lenda da música Freddie Mercury faleceu.

Até hoje citada em recordes de vendas a nível mundial. Com quatro músicos tecnicamente talentosos, três cantores maravilhosos e quatro compositores inatos, faltam superlativos que denominam o sucesso e importância do grupo.

Claro que tal importância ganhou seu espaço nas telas do cinema e nas séries. Hollywood enxergando isso fez com que eles produzirem duas trilhas sonoras, Flash Gordon (1980) e Highlander (1986). Além disso suas músicas também invadiram outras produções, abaixo você encontra  cinco momentos históricos das músicas do Queen, no cinema.

“Bohemian Rhapsody”- Quanto Mais Idiota Melhor (1992)
Canção composta por Freddie Mercury em 1975, não possui refrão e foi um grande marco da música na história por conta de sua modernidade e excentricidade para a época.

Baseado em um esquete do programa Saturday Night Live e estrelado pelos comediantes Mike Myers, como Wayne Campbell, e Dana Carvey, como Garth Algar, Quanto Mais Idiota Melhor, traz a história de dois donos de um programa de televisão a cabo chamado “Wayne’s World”. Na época o filme fez o clássico “Bohemian Rhapsody” ressurgir, quase duas décadas depois do seu lançamento a música voltou às paradas de sucesso.

“We Are The Champions” – Alta Fidelidade (2000)
Também composta por Freddie Mercury, lançada em 1977 no álbum “News of the World”. Alta Fidelidade ficou marcada como um clássico baseado no livro High Fidelity, de Nick Hornby.

Quase uma comédia romântica para homens, o longa conta a história de Rob Gordon, que após ser dispensado pela namorada, ele entre em um crise dos trinta. Ele resolve analisar seus cinco relacionamentos mais marcantes, a fim de entender o porque eles não deram certo. A música destoa um pouco da preferência do personagem, mas pelo momento ela é muito bem vindo, uma comemoração histórica, após a noite de amor com a cantora de jazz Marie DeSalle. Quem nunca comemorou algo ao som dessa canção, né?

  “The Show Must Go On”- Moulin Rouge: Amor em Vermelho (2001)

Inspirado em três óperas: “La Bohème” de Giacomo Puccini, “La traviata” de Giuseppe Verdi, e “Orphée aux enfers” de Jacques Offenbach, Moulin Rouge! é um clássico dos musicais, inclusive, foi o primeiro musical em vinte e três anos a ser indicado ao Oscar.

É difícil dentro de um musical uma única música se destacar, mas “The Show Must Go On” consegue sem muito esforços. Single presente no último álbum da banda com a formação original, intitulado “Innuendo”, que na época já dava os créditos de composição para a banda e não mais para cada integrante, mas a canção foi escrita por Brian May. Na música ele narra a dedicação de Freddie para com a música e continuar as gravações. O cantor faleceu um mês depois do lançamento da canção.

 “Somebody To Love”- Uma Garota Encantada (2003)
Como não lembrar de Anne Hathaway interpretando esta maravilhosa canção lançada em 1976. Escrita por Freddie Mercury a canção faz parte do álbum “A Day at the Races” e já foi cantada por muito intérpretes. Na comédia romântica cheia de fantasia, Ella personagem, de Anne Hathaway, ganha da sua fada madrinha um dom: a obediência. O film que tem um toque de Cinderela, se passa após a morte de seu pai, agora cabe à Ella  lidar com a viúva que é uma mulher muito má e suas duas filhas piores ainda. Cansada ela foge pela floresta com seu livro em busca da fada madrinha, durante as aventuras da viagem, ela conhece um belo príncipe. Acompanhada por um trio de gigantes, Ella usa a canção para expressar seus sentimentos ao Príncipe Charmont. Quem nunca fez isso né? A menina encantada não poderia ter escolhido música melhor.

 “Don´t Stop Me Now” – Todo Mundo Quase Morto (2004)

Quando você está caçando um zumbi, a última coisa que deseja é ser parado, certo? Certo! Então nada melhor que “Don’t Stop Me Now” para embalar um caçada ao um zumbi gordinho, com o som vindo de uma Jukebox. Mais uma canção do rei Freddie Mercury, lançada no álbum “Jazz”, de 1978, em um estudo científico britânico, a música foi considerada a mais feliz da história. Na comédia Todo Mundo Quase Morto, Shaun está com a vida bem ruim, sua namorada o largou, seus amigos não o respeitam, mas como tudo pode piorar, a cidade é atacada por zumbis. Então ele resolve fazer algo e enfrentar os mortos-vivos e por mais que isso pareça sinistro, o filme é para ficar com dor na barriga de tanto rir. Uma das cenas mais engraçadas é exatamente a que contém Queen como trilha sonora.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here