A poesia vai invadir a tela da Globo com a estreia da série ‘Cine Holliúdy’, prevista para o dia 07 de maio. Inspirada no longa-metragem homônimo de Halder Gomes, a trama de dez episódios traz de volta à TV o humor regional, regado no cearenses, por meio da história de Francisgleydisson (Edmilson Filho), um cabra sonhador, apaixonado por cinema, e que luta para manter viva a sétima arte no interior do Ceará. “Essa linguagem regional tem uma musicalidade no jeito de falar, que mais parece que estamos escrevendo uma poesia”, pontua o autor Claudio Paiva, que assina o roteiro da série com Marcio Wilson. “O Francis é nosso Dom Quixote. Ele resgata a força do brasileiro de não desistir, em querer brigar por aquilo que ama”, completa Marcio Wilson.

Com uma história inédita e independente do filme, a série possui novos personagens e uma nova dramaturgia. “Temos o argumento do filme do Halder e temos o Francisgleydisson, que é uma joia de personagem. Mas estamos inseridos em outro contexto. Na série, o cinema entra forte na ‘briga’ com a televisão e damos espaço para a produção de filmes do Francis, uma verdadeira homenagem à sétima arte”, explica a diretora artística Patricia Pedrosa.

Francis é dono da única – e apetrechada – atração cultural da cidade fictícia de Pitombas: o ‘Cine Holliúdy’. O lugar é capaz de aglomerar o povo local em filas para assistir aos seus filmes de beijo ou de peia. Ao lado de seu parceiro de trabalho e fiel escudeiro Munízio (Haroldo Guimarães), um verdadeiro “Sancho Pança” do sertão, o cinemista vê seu faturamento cair na bilheteria depois que o prefeito Olegário (Matheus Nachtergaele), atendendo às vontades da primeira-dama, Maria do Socorro (Heloísa Perisse), e de sua enteada Marily (Leticia Colin), coloca um aparelho de TV em plena praça pública. O povo, agora, só quer saber do romance das novelas.

Ao se dar conta de que a iniciativa do político é como um golpe no meio da fuça – e também no bolso – Francis se desdobra para tornar seu cinema mais atrativo. Ele tem no DNA algo que é comum ao brasileiro: a arte de se reinventar, se reerguer e fazer graça até na desgraça. É capaz de se estropiar todo e ainda se levantar com um sorriso no rosto e um bocado de ideia mirabolante. Sua vida é que nem rapadura: dura, mas doce. E o coração do cinemista se adoça todo quando vê passar a bela Marylin (Letícia Colin). Com nome de atriz de cinema, cabelos platinados esvoaçantes e um nariz empinado, a enteada de Olegário chega de São Paulo a contragosto, sem saber que pode ajudar a mudar o rumo da história.

Já que o povo não quer mais saber dos filmes estrangeiros exibidos no ‘Cine Holliúdy’, Francis decide produzir suas próprias obras. Tudo sem planejamento, roteiro ou falas, na base do improviso mesmo. E haja história. Tem filme de tudo quanto é tipo, para tudo quanto é gosto. Ficção cientifica, terror, ação, faroeste e até filmes de luta fazem parte das histórias em que Francis, Munízio e Marylin se metem, colocando Pitombas inteira dentro de suas aventuras.

Com estreia prevista para 07 de maio, ‘Cine Holliúdy’ é uma série de Marcio Wilson e Claudio Paiva, baseada no longa-metragem homônimo escrito e dirigido por Halder Golmes. A direção artística é de Patricia Pedrosa e a direção de Halder Gomes e Renata Porto D’Ave. A obra de 10 episódios conta com participações especiais de Ney Latorraca, Chico Diaz, Miguel Falabella, Ingrid Guimarães, Falcão, Tonico Pereira, Bruno Garcia, Rafael Infante, Rafael Cortez, entre outros.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here