Uma sala de terapia onde todos são atendidos ao mesmo tempo por uma doutora nada ortodoxa; essa é a premissa de “A Mente Capta”. O texto é de 1982, mas os problemas apresentados continuam atuais: carência afetiva, desprezo dos pais, dificuldades em relacionamentos; todos esses empecilhos são discutidos na minúscula sala onde a doutora Rosa Cruz (vivida por Leandro Austin) atende. Mas ao invés de recorrer a velhos conhecidos da psicanálise, como Freud e Jung, a especialista prefere recorrer a métodos nada recomendáveis e até se refere a seus pacientes como “doidos”.

Sempre foi o desejo do diretor Bruno Seixas dirigir o texto. Ele foi assistente de direção em uma montagem da peça com Regiana Antonini (autora de “Doidas e santas”), onde se inspirou em fazer a própria versão, com o incentivo de alunos da companhia, no final de 2018. O processo reforçou o estudo do teatro físico, a qual Seixas, já está acostumado “-Sempre me inspirei muito na Regiana Atonini, com quem eu desenvolvi um trabalho de teatro físico baseado nas técnicas de Grotowsky”, pondera o diretor.

São quatorze personagens se revezando no palco, e segundo Bruno Seixas, é uma peça da qual se pode assistir diversas vezes: “- Cada personagem tem seu momento, você pode ir um dia para ver um e no outro, prestar atenção em um diferente” conclui. Ainda de acordo com o diretor, a criação da peça foi fruto de um trabalho coletivo entre os atores e a direção: “- Eles trouxeram as propostas, algumas eu gostei, outras não, fui selecionando e fomos criando juntos” finaliza.

Serviço
“A Mente Capta”
Sede da Cia de Teatro Contemporâneo (Rua Conde de Irajá, 253 – Botafogo)
Temporada: 03 de agosto a 29 de setembro de 2019
Sábado e domingos, às 20h
Duração: 80 minutos
Classificação etária: 14 anos
Capacidade: 80 lugares

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here