O SESC Tijuca recebe de 23 de agosto a 15 de setembro, de sexta a domingo sempre às 19h, o espetáculo Las Panamericanas – grandes sucessos de ontem, hoje e sempre. Estruturado a partir de números musicais e coreográficos, numa homenagem ao teatro de revista brasileiro, o espetáculo tem como mote o retorno ao Brasil de “Las Panamericanas” após quase 2000 anos de sucesso internacional, circulação por diversos países e inúmeros prêmios. Depois de espalhar brilho e glamour de Berlim a Madagascar, elas voltam à sua terra natal para encantar o público brasileiro com os melhores momentos de sua carreira. Em meio à balas perdidas, helicópteros com fuzis e crise econômica, apresentam o caminho do riso, do prazer e da liberdade como uma potência revolucionária. Este teatro de revista contemporâneo mistura Techno brega com Doris Day, sereias fugidas de Atlântida com dançarinas de flamenco, Cleópatra com Pedro Almodóvar, para realizar um espetáculo divertidíssimo onde a mulher deixa de ser a partner (lugar que ocupou durante muito tempo na história do circo) para se tornar a protagonista absoluta.

A montagem é fruto de uma extensa pesquisa realizada pelas quatro integrantes do grupo: Ana Carolina Sauwen, Florencia Santángelo, Nara Menezes e Natascha Falcão. Elas são atrizes, cômicas, palhaças com percursos individuais consolidados e que se uniram pelo interesse comum em investigar as potências cênicas que surgem a partir da união entre a palhaçaria e o burlesco e a necessidade da prática, reflexão e discussão sobre o corpo feminino cômico, suas subversões e potências. O grupo realizou uma série de números que se apresentou nos maiores festivais de palhaçaria feminina do Brasil ao longo de dois anos e o excelente retorno do público motivou a criação do espetáculo. “Uma das bases do trabalho do palhaço é o mergulho no próprio ridículo, no seu fracasso pessoal. Já o burlesco explora a beleza, a afirmação da sensualidade de todos os corpos, o empoderamento. O material artístico que surge a partir da união desses dois mundos é muito rico, cheio de camadas e oposições e isso nos levou à criação do nosso lema, uma mistura de Beckett com Dercy Gonçalves: ‘Fracasse. Fracasse de novo. Fracasse melhor. Fracasse coberta de glitter'”, afirma Ana Carolina.

Nesse encontro brilhoso entre a palhaçaria feminina e o burlesco, o figurino assinado por Natascha Falcão se tornou, na visão do coletivo, um dos balizadores na linguagem que está sendo construída em Las Panamericanas. “É nosso desejo que o figurino traga consigo tanto a estética do burlesco como a da palhaçaria ao revelar personalidades\peculiaridades de cada uma de nossas figuras e favorecer a possibilidade de jogo quando, por exemplo, a palhaça fica aliviada ao tirar um espartilho, ou quando joga com um desconforto estético, ou quando está tão orgulhosa de estar tão maravilhosa… são muitas as possibilidades”, destaca Natascha. Ao todo, são 11 trocas de roupas e mais de 21 adereços.

  “Como mulheres artistas queremos nos fortalecer dentro do mercado, ocupando cargos cada vez mais relevantes dentro da cadeia de produção. Darmos esse espaço para nossas colegas mulheres é uma oportunidade que queríamos aproveitar”, destaca Florencia.

SERVIÇO
Las Panamericanas – grandes sucessos de ontem, hoje e sempre
Temporada: 23/08 a 15/09 de 2019
Dia e hora: de sexta a domingo, sempre às 19h
Local: SESC Tijuca -Teatro II (Rua Barão de Mesquita, 539 – Tijuca)
Duração: 60 minutos
Classificação: 14 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here