Nascido da fábula contada no livro infantil homônimo do autor angolano Ondjaki, “Ombela – A Origem das Chuvas” conta a história de uma deusa menina, africana, a deusa das chuvas, que começa a questionar a origem de suas lágrimas. Seu pai lhe explica que todas as emoções fazem parte da evolução, até mesmo dos deuses. O que ela não sabe é que suas lágrimas dão origem aos nossos mares e rios e, a partir dessa informação, as perguntas começam a desenvolver uma trama sensível e inusitada. Curiosa e inquieta Ombela decide partir do Orum até o Ayé, Céu e Terra em yoruba, no futuro, em outro tempo. Em sua viagem encontra divindades africanas que trazem muitos ensinamentos. Junto com a sua inseparável amiga rã, ela descobre a importância da chuva e das suas emoções, e divide com seu pai e com o público tudo o que aprendeu em sua jornada.

Ao lado dos bonecos criados por Bruno Dante, seis atrizes e atores contam, através de canções inéditas, a história dessa pequena deusa que na mitologia tem o nome da chuva em Umbundu. “Assim como fiz com a história cultural da Índia, no espetáculo As Aventuras do Menino Iogue, estou trazendo para o palco, através de bonecos, imagens oníricas, instrumentos e máscaras de papel machê das tribos Senufo, Baoule, Fang, Kwele e BaKongo (assinados pela artista plástica Carol W) um pouco da cultura africana, que é tão presente na nossa”, explica o diretor.

A trilha sonora e direção musical são assinadas por Maria Clara Valle e Jonas Hocherman Correa. Fruto de uma imersão na música brasileira, com o olhar

Foto: Renato Mangolin

voltado para a sua herança africana, o musical infantil celebra a união dessas duas culturas, que tanto se irmanam. A partir desse diálogo intercultural, o tambor foi colocado como o centro de todas as composições, que se inspiram em seus toques. Dividindo o palco com os atores Barbara Sut, Bukassa Kabengele, Mariana Sancar, Marília Lopes, Renata Vilela e Orlando Caldeira, o musical apresenta o violão de sete cordas de Samara Líbano, as flautas, percussões e voz de PC Castilho e os tambores e voz de Mayombe Masai. Para traduzir e sonorizar essa jornada pelo Aye são utilizados instrumentos não convencionais como concha, bacia de água, garrafas e chocalhos construídos especialmente para a peça. As letras das canções foram escritas por Ondjaki, autor do livro, além de receberem a preciosa contribuição das atrizes e musicistas Marília Lopes, Mariana Sancar e do ator e músico Bukassa Kabengele.

A colaboração artística e preparação vocal da atriz e cantora Soraya Ravenle se fundem em harmonia com a direção de movimento e coreografias construídas por Gleide Cambria, especialista em danças de matriz africana e danças afro-brasileiras. Os figurinos de Tereza Nabuco, desenhados com o conceito da África e tecidos originalmente do continente são realçados pela poesia da luz de Paulo César Medeiros que completa esse espetáculo.

Ombela – A Origem das Chuvas é um espetáculo lúdico que mistura teatro e música e promete encantar crianças e adultos.

Serviço:
“Ombela – A Origem das Chuvas”
Centro Cultural Oi Futuro (Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo – próximo ao Metrô Largo do Machado)
De 31 de agosto a 20 de outubro
Sábados e domingos, 16h
Ingressos na bilheteria ou pelo site:

Foto: Renato Mangolin

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here