No dia 1 de outubro, a sede do Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro completa 20 anos. Para celebrar a data, o centro cultural promoverá uma série de eventos especiais ao longo do mês. A programação inclui a inauguração do jardim restaurado e a abertura de uma exposição, no dia 1 de outubro, um show do cantor Lenine, no dia 6, além de atividades educativas, oficinas, entre outros destaques.

O IMS Rio ocupa a antiga residência do embaixador Walther Moreira Salles, projetada, em 1948, pelo arquiteto Olavo Redig de Campos. Situada no alto da Gávea, em um terreno com aproximadamente 10 mil metros quadrados, e em meio à mata atlântica, a casa conta com um projeto paisagístico concebido por Roberto Burle Marx. Em 1 de outubro de 1999, o espaço passou a sediar o centro cultural. Desde sua fundação, o IMS Rio já recebeu cerca de 1.820.000 visitantes, além de ter realizado 144 exposições e mais de 25 mil atividades. A casa também abriga as reservas técnicas do IMS, atendendo inúmeros pesquisadores.

A programação começa no 1 de outubro, quando será reinaugurado o jardim do centro cultural. A área verde havia sido afetada pelas fortes chuvas que atingiram a cidade em fevereiro. Para recuperá-la, o IMS contratou o Escritório Burle Marx, que desenvolveu um processo de restauro da vegetação. Com o replantio, o jardim acabou aproximando-se do projeto inicial, concebido pelo consagrado paisagista. Neste dia, serão distribuídas gratuitamente mudas do jardim.

Ainda no dia 1 de outubro, será aberta uma exposição institucional na Sala de Azulejos do centro cultural. A mostra permanente reunirá cerca de 30 fotografias da casa da Gávea, dos anos 1950 até os dias de hoje. As imagens são de autoria dos fotógrafos Marcel Gautherot, Carlos Moskovics, Cristiano Mascaro e Robert Polidori. A mostra contará com recursos acessíveis, como textos em braile e para baixa visão. Na mesma sala, está a maquete tátil do IMS Rio, inaugurada recentemente.

Outro destaque é o show de Lenine, no dia 6 de outubro, às 18h, no auditório do centro cultural. No formato voz e violão, o músico homenageará Jackson do Pandeiro (1919-1982), que completaria 100 anos em 2019. O repertório inclui clássicos do compositor paraibano, como “Chiclete com banana”, “Sebastiana” e “O canto da ema”, além de músicas menos conhecidas. Os ingressos do show custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e podem ser adquiridos no site Eventbrite, a partir de 23 de setembro. A apresentação será transmitida ao vivo em um telão no jardim do centro cultural.

Nos quatro sábados do mês, sempre às 16h, a equipe de educação do IMS também oferecerá atividades. Os eventos integram uma edição especial do Família em Foco, projeto voltado para adultos e crianças. No dia 5 de outubro, o grupo As Carambolas realizará um show interativo, com um repertório de música popular brasileira. A apresentação é indicada para crianças de 3 a 6 anos. Já no dia 12, os educadores do IMS conduzirão uma visita pelo jardim do centro cultural, seguida de uma atividade de desenho e colagem.

Para o sábado seguinte (19/10), está prevista uma narração de histórias, conduzida por Tatiana Henrique e o grupo Pretinhas Leitoras, que abordarão temas como relações raciais e diversidade cultural. Por fim, no dia 26 de outubro, a atriz Rita Carelli convidará as famílias a assistir a curtas do projeto Vídeo nas Aldeias e discutir o tema da infância na cultura indígena.

A programação inclui também uma oficina sobre documentário com imagens de arquivo, ministrada por Mônica Simões. As aulas serão oferecidas de 8 a 11 de outubro, das 19h às 22h. A oficina tem o valor de R$ 300 (inteira) e R$ 150 (meia), e as inscrições estão disponíveis no site Eventbrite.

Por ocasião do aniversário, foi concebida uma linha de produtos comemorativos, que inclui caneca, lápis, bolsa, porta-copos, caderno e postais. Os produtos estarão disponíveis à venda, a partir do dia 1 de outubro, na loja do IMS.

As atividades comemorativas reiteram o legado do IMS Rio para a cidade, tanto em termos de sua arquitetura quanto de sua extensa programação. Segundo o superintendente executivo do IMS, Flávio Pinheiro, “nestes 20 anos, o IMS cresceu exponencialmente. Entesourou, organizou-se e difundiu imensos acervos de Fotografia, Música, Literatura e Iconografia, todos alocados no Rio, e firmou-se como um bom endereço de Cinema. É uma casa de memória. Da memória que confere identidade e precisa ser preservada também como fiadora de liberdade. Da liberdade de enxergar com cuidado e espírito crítico o passado, o presente e o futuro.”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here