Em uma cidade deteriorada pela guerra, dividida por questões econômicas, sociais e religiosas, dois garotos desenvolvem uma grande amizade, movidos pelo desejo de se tornarem heróis, como aqueles que tanto admiram no cinema. O processo de amadurecimento dessas crianças, narrado com sensibilidade e humor, guia a trama do espetáculo Mojo Mickybo, texto do premiado autor irlandês Owen McCaferty, que ganha sua primeira montagem brasileira a partir de 27 de setembro, no Teatro XP Investimentos, no Jockey da Gávea, com sessões às sextas e sábados, às 21h, e aos domingos, às 20h, até 27 de outubro. Com direção de Diego Morais, a peça reúne em cena os atores Pedro Henrique Lopes, também responsável pela adaptação do texto, e Cirillo Luna, que vivem os protagonistas e outros 15 personagens.

O texto original se passa durante o maior conflito étnico, religioso e político da Irlanda do Norte, conhecido como ‘The troubles’, mas, nesta adaptação, a história não é situada geograficamente, o que amplia a discussão sobre o mundo polarizado, a divisão social nas cidades, as diferenças culturais e a complexidade das relações humanas. “Mojo Mickybo mostra as consequências das desigualdades socioeconômicas em uma mesma população e os embates gerados pelas diferenças culturais. É um espetáculo que fala sobre a perda da inocência e como todos os heróis podem ser esvaziados em algum momento”, analisa o diretor Diego Morais, que criou uma linguagem cênica ágil e perspicaz que, ao mesmo tempo, diverte e provoca o questionamento.

Ambos com cerca de 10 anos, Mojo (Pedro Henrique Lopes) e Mickybo (Cirillo Luna) se conhecem quando cruzam a ponte que separa o Norte do Sul da cidade onde vivem. A admiração pelo novo e a vontade de ser o outro faz com que se unam e criem sua própria gangue para enfrentar seus inimigos particulares. Obcecados pelos heróis de faroestes Butch Cassidy e Sundance Kid, os garotos vivem em um mundo quase irreal.

“Mojo e Mickybo são, ao mesmo tempo, seres opostos e complementares. Vivem em um mundo de fantasia, mas, ao longo do espetáculo, vão perdendo a inocência ao serem invadidos pela realidade que os cerca. A falta de dinheiro, o alcoolismo, a infidelidade, a depressão, a violência e, principalmente, a divisão social vão influenciar no processo de amadurecimento deles”, descreve Pedro Henrique Lopes, que adaptou o texto e interpreta Mojo. O cenário e os figurinos são assinados por Clívia Cohen e José Cohen, que colocam em cena um parquinho degradado, que remete a uma cidade marcada pelos conflitos e pelo descaso.

A história destes dois amigos já ganhou diversas montagens teatrais ao redor do mundo e foi adaptada para o cinema no filme “Mickybo and me” (em português, Eternos Heróis), dirigido por Terry Loane.

SERVIÇO:
“Mojo Mickybo”
Temporada: 27/09 a 27/10
Teatro XP Investimentos (no Jockey Club Brasileiro): Av. Bartolomeu Mitre, 1.110 – Leblon
Dias e horários: Sextas e Sábados, 21h; Domingos, 20h
Classificação: Livre

 Foto de Felipe Luz 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here