O show “Pra Gente Saborear” é o resultado de um apanhado musical das composições e dos sucessos gravados por Ana Costa. Afilhada musical de Martinho da Vila e um dos nomes mais representativos da revitalização do samba no Rio de Janeiro, a cantora, compositora e violonista é a atração do Lapa-Gávea no dia 24 de outubro, às 21h30. O projeto, que tem curadoria musical de Pedro Miranda, um dos principais artistas da reocupação cultural da Lapa na virada de século, acontece toda quinta-feira, no Dumont Arte Bar, cada semana com um show diferente.

Um “cardápio” recheado de sambas, choros e valsas, com canções autorais e sucessos de outros compositores, é o que promete a noite do dia 24. No repertório, estão confirmadas: “Novos Alvos” (parceria de Ana com Zélia Duncan), “Perceba” (Ana Costa / Moyseis Marques), “O Que é, o Que é?” (clássico de Gonzaguinha regravado pela cantora em seu terceiro álbum, “Hoje é o Melhor Lugar”), “Disritmia” e “Ex-Amor” (ambas de Martinho da Vila, em versões feitas especialmente para o DVD “Pelos Caminhos do Som”, que homenageia o compositor). Acompanhada por sua banda, formada por Júlio Florindo (baixo e direção musical), André Manhães (bateria) e Maurício Massunaga (violão e guitarra), Ana Costa (voz e violão) quer levar para a Gávea um pouco de sua trajetória musical. Indicada quatro vezes como melhor cantora de samba no Prêmio da Música Brasileira, a artista foi eleita Revelação no 5º Prêmio Rival Petrobras de Música. Com cinco CDs e um DVD lançados, Ana vem conduzindo a carreira consciente do próprio valor e das próprias possibilidades de êxito.

Depois de Ana Costa, o Dumont Arte Bar vai receber nas quintas seguintes outros artistas representativos do bairro mais boêmio do Rio de Janeiro: vão se apresentar por lá Moyseis Marques (31/10), João Cavalcanti (07/11), Elisa Addor e Julio Estrela (14/11), Tempero Carioca (21/11) e Marcos Sacramento (28/11), além de outras atrações a confirmar. “Esses artistas são meus pares, meus amigos. Tenho o prazer de ser da mesma geração e de trabalhar com eles. É isso que nos une e, juntos, vamos tentando furar um pouco a barreira da cultura de massa. O Dumont Arte Bar é o novo refúgio não só do samba e do choro, mas da música brasileira”, justifica Pedro Miranda, idealizador e curador artístico do projeto, antecipando que Julio Estrela, Elisa Addor, Inácio Rios e Mosquito também vão participar.

Flávio Moreno, um dos sócios do Dumont Arte Bar, destaca que, embora a Gávea tenha um corredor cultural muito forte, ainda falta palco para a música na cidade, como um todo. “São várias salas de cinema, de teatro, uma grande Universidade, que é a PUC. É um bairro espetacular – e a gente brinca que tem um vereador, que é o nosso Pedro Miranda, um artista brilhante, com sonhos a realizar. Somos parceiros e estamos aqui para apoiá-lo em tudo que ele fizer. Esse projeto vai ser muito importante para a Gávea, pois vai resgatar grandes artistas desse polo cultural que é a Lapa e trazer a oportunidade de convivência com esses músicos fantásticos. Com a curadoria do Pedro é uma grande certeza de qualidade”, completa.

O apelido de “vereador” não é à toa. Além de ser morador do bairro, Pedro Miranda é responsável por alguns dos principais eventos culturais que acontecem na região. Há dois anos, criou o Samba da Gávea, que acontece às segundas, na Da Casa da Táta; às quartas, desde 2018, seu Forró da Gávea ocupa o Dumont Arte Bar; um sábado por mês, colocou o Choro na Rua para se apresentar gratuitamente na Praça Santos Dumont; levou para o Dumont as Segundas Instrumentais, com Zé Paulo Becker & Semente Choro Jazz; e, finalmente, o Lapa-Gávea entra para preencher as noites de quinta.

Foto: Flávia  Canavarro

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here