Foi buscando respostas e uma tomada de posição frente à sensação de desesperança e medo que aflige quem vive no Rio de Janeiro que se deu a gênese de “PROVA DE AMOR”. O espetáculo inédito que estreia e fica em cartaz de 1º a 24 de novembro no Sesc Copacabana nasceu a partir do encontro dos artistas Pedro Kosovski, importante expoente da dramaturgia contemporânea brasileira, e Manuela Llerena, jovem artista e atriz que compõe o coletivo feminista Mulheres de Buço.

Indo além do amor romântico, a peça questiona a corporeidade e a fisicalidade do amor enquanto força de atração que nos afeta uns aos outros. “O amor aqui é compreendido como força de união, como desejo de estarmos juntos, apesar de tantas rupturas sociais que vivemos nos últimos anos. Mesmo em tempos de discórdia e divisão, ainda desejamos viver juntos em potência criativa”, contextualiza o dramaturgo e diretor.

Essa ‘força de ligação’ conceitua todo o desenrolar do espetáculo, que acompanha uma personagem em busca das memórias de juventude do pai, remexendo seu passado a partir de provas, documentos e arquivos públicos e pessoais. Deste modo, coloca em teste a sua hipótese: lembrar é uma ação que nos engaja no presente, não no passado.

“O tema que atravessa o nosso trabalho é a questão da memória. A peça trabalha na tensão entre a imaginação da atriz – que cria uma autoficção das narrativas de juventude de seu pai – e a concretude dos arquivos e documentos, que criam uma imagem documental. Na tentativa de recriar a trajetória do pai, a personagem vive essa contradição, entre aquilo que imagina, o que ouviu falar e mesmo aquilo que idealiza – e o que de fato os documentos provam que aconteceu. Conforme avança, ela percebe que a memória pessoal do seu pai é inevitavelmente atravessada pela memória coletiva de nosso país”, pontua o autor, metaforizando os ciclos históricos que, de tempos em tempos, fazem eclodir os conflitos políticos dentro de nossas vidas pessoais.

A construção de laços afetivos em meio à radicalização da sociedade brasileira dá o tom da montagem. “A força que a conduz nesta busca de forma obstinada, e que também une essa pequena comunidade efêmera que forma a roda de conversa entre artistas e público, é o amor. E é, ainda ele, quem conduz a atriz na redescoberta da própria ideia de família, de país e de uma vida em comunidade”, analisa o diretor. Presente no elenco, Matheus Macena uniu-se aos autores na idealização de residências artísticas no SESC para, juntos, desenvolverem a obra de modo aberto e compartilhado, resultando num processo de criação inovador.

“A montagem reivindica este lugar de ‘obra aberta, ‘obra relacional’ que tem no engajamento participativo do público seu maior valor. Estruturamos a peça a partir do dispositivo da ‘roda de conversa’, horizontalizando as relações entre artista e público. “A roda de conversa é lugar democrático do encontro, do diálogo horizontal que pode acontecer mesmo em dissenso, mesmo com diferenças”.

O processo reuniu artistas de diferentes localidades da cidade para a construção dos conceitos cênicos e dramatúrgicos. Deste modo, além de Matheus e Manuela, Ana Lú Nepomuceno, Eduardo Ibraim, Jojô Rodrigues e Raquel Villar estão em cena e se tornaram colaboradores. “Para esta criação realizamos uma série de residências artísticas, em diferentes localidades da região metropolitana do Rio. Nossa ideia é criar alternativas para o saturado funcionamento do capital cultural de nossa cidade, que se concentra nas regiões do centro-zonal sul”, encerra Pedro.

SERVIÇO:
“PROVA DE AMOR”
1º a 24 de novembro de 2019
Horário: Sexta-feira a domingo – 18h
Local: Sesc Copacabana (Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana)

FotosChico Cerchiaro

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here