O projeto Jazzin’ Minas volta aos palcos cariocas, no próximo sábado na Casa com a Música, na Lapa, tendo como convidado especial o baterista Theo Lima, que já tocou com Djavan, Gal Costa, Lenny Andrade, Stevie Wonder, entre outros.

A influência do jazz na obra de Milton é o ponto de partida do repertório. Canções emblemáticas como “Tarde” e “Vera Cruz” (parcerias com Márcio Borges) somam-se a faixas menos conhecidas de autoria de Bituca, como “Vidro e Corte” e “Novena” (também com Márcio Borges), e sucessos do Clube da Esquina, como “Sonho Real” e “Trem Azul” (Lô Borges e Ronaldo Bastos), “Nascente” (Flavio Venturini e Murilo Antes), “Fazenda” (Nelson Ângelo) e “Amor de Índio” (Beto Guedes e Ronaldo Bastos).

“Trem Azul foi a primeira canção na qual comecei a trabalhar quando pensei em apresentar o Jazzin’ Minas. Mas, curiosamente, depois de tanto tempo, acredito que o arranjo tenha chegado ao ponto que eu desejava apenas agora. E devo isso aos maravilhosos músicos que me acompanham”, conta Eduardo Braga, idealizador, diretor e arranjador do espetáculo no qual canta e toca violão. “São instrumentistas com contribuição expressiva não apenas na MPB, mas na cena jazzística”, completa o artista, ao referir-se aos músicos da formação que montou: Berval Moraes (baixo), Peter O’Neill (sax), João Braga (piano) e Jefferson Vieira (bateria). Além de Theo Lima, o show também terá participações especiais de Deco Fiori (voz) e Paulinho Emmery (baixo).

E se mineirice flerta escancaradamente com o jazz, a obra de Toninho Horta não pode ficar de fora. Criações do compositor e instrumentista de renome mundial, como Beijo Partido, assim como parcerias como Diana (com Fernando Brant), ganham leituras intensas no espetáculo.

Serviço
Eduardo Braga Apresenta Jazzin’ Minas
Local: Casa Com a Música (Rua Joaquim Silva, 67, Lapa)
Dia: 2/11/19
Horário: 21h
Ingressos: R$35 e R$25 (lista amiga)*
*sujeito à alteração

Foto: Luiz Contreira

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here