A nova minissérie da HBO, “The plot against America” é baseada no romance distópico do escritor norte-americano Philip Roth e conta uma versão alternativa à história dos Estados Unidos. Após a derrota de Franklin D. Roosevelt nas eleições presidenciais de 1940, uma família judia em Nova Jersey acompanha a ascensão política de Charles Lindbergh, um herói aviador e populista xenófobo que chega à presidência levando o país ao fascismo.

Roth foi um escritor produtivo e publicou 31 livros, dos quais vários foram levados às telas. Abaixo, você encontra curiosidades de sua literatura que ajudam o expectador entender melhor seu universo.

A abordagem de hipocrisia, religião, sexualidade, família, morte e trabalho tornam Roth o grande representante freudiano da literatura norte-americana. Esses temas estão presentes também nas adaptações de suas obras para cinema e TV. Roth soube lidar bem com a separação entre realidade e ficção, com assuntos vinculados à identidade dos judeus, à memória do século 20, traumas e o inconsciente coletivo. Tudo isso está refletido em “The plot against America”.

Nathan Zuckerman é um personagem criado por Roth que aparece em muitos dos seus livros: é seu alter ego, ou “alter mente, ” como o escritor o chamava. Zuckerman é o protagonista e o narrador de vários romances, como Minha Vida de Homem e O Escritor Fantasma. Também aparece em A Marca Humana, que foi levado ao cinema e conta o passado do professor Coleman Silk (interpretado por Anthony Hopkins) e sua verdadeira identidade racial, que aflora depois que ele conhece o escritor Nathan Zuckerman (Gary Sinise) e a mulher que ele ama, Faunia Farley (Nicole Kidman). Roth não usou Zuckerman para narrar “The plot against America” , neste romance, quem conta a história é o próprio autor ainda criança.

 Vários artistas quiseram levar Roth para o cinema. Atores e diretores premiados assumiram este desafio. Entre os filmes que permitem entender a mente do autor se destacam-se Indignação (2016) – Filme de estreia de James Schamus, produtor de O Segredo de Brokeback Mountain e muitas outras obras – ;

 Revelações (2003) – Robert Benton assumiu o desafio de traduzir para o cinema um dos livros mais elogiados do escritor. Tanto o romance como o filme abordam a hipocrisia com a qual a opinião pública julga a vida sexual das pessoas – ;

Fatal (2008) – Protagonizado por Ben Kingsley e Penélope Cruz, o título conta a história de um casal formado por um professor nova-iorquino e uma aluna hispânica – ;

O Último Ato (2014) – Al Pacino e Greta Gerwig dão vida a um ator em decadência e a uma jovem lésbica que decidem se dar uma oportunidade como casal – .

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here