Plataforma tem conteúdo exclusivo.

A partir de 28 de maio, a plataforma Cinema Virtual trará títulos inéditos e premiados, disponíveis em www.cinemavirtual.com.br , com acesso conteúdo exclusivo sem sair de casa.  O espectador poderá escolher sua rede exibidora de preferência, que receberá parte da renda de cada sessão.

A cada quinta-feira, o Cinema Virtual trará estreias, além de manter disponíveis os títulos mais desejados da semana anterior, escolhidos pelo público. Estarão na plataforma, a cada semana, entre 10 e 15 títulos, todos inéditos no cinema e em plataformas de streaming.

Em seu line-up, o projeto já conta com longas como: Os Olhos de Cabul, filme exibido no Festival de Cannes 2019 e premiado em Annecy (2019); Copperman – Um Herói Especial, que acaba de ganhar o Prêmio do Júri BIFF JR de Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema de Brasília e Antes de Partir, estrelado por Brian Cox, vencedor do Globo de Ouro de Melhor Ator.

Para assistir, o usuário deve acessar www.cinemavirtual.com.br, escolher o filme, selecionar estado, cidade e rede exibidora de preferência. O ticket só poderá ser comprado depois dessa etapa, garantindo, assim, que todos os exibidores serão remunerados. Cada sessão custa R$ 24,90 e vale por 72 horas. Alguns filmes poderão ter preços promocionais, dependendo do acordo entre distribuidor e exibidor. Os filmes podem ser assistidos em até três plataformas diferentes, entre celular, Smart TV, computador, tablet. O filme ficará em cartaz por até 15 dias e, depois, terá que cumprir uma janela de até 90 dias para ser oferecido em plataformas digitais.

Participam do projeto, até o momento, os exibidores PlayArte, Cine Arte Pajuçara, Cine 14 Bis, Paradigma Cine Arte, Cineramabc, Kine Vitória, Cine Company, Cine Topázio Indaiatuba, Mobi Cine.

“Essa foi a forma que encontramos de ajudar esse elo fundamental da cadeia do cinema: o dono da sala de exibição. Sem a renda dos ingressos, eles estão muito vulneráveis. Levamos muito tempo para reconstruir nosso parque exibidor, precisamos atuar para mantê-lo. O projeto busca criar a maior semelhança possível com a operação dos cinemas físicos. Desta forma, todos os conteúdos devem ter sido produzidos pensando na tela grande, devem ser inéditos e exclusivos na plataforma. O filme ficará em cartaz por até 15 dias e, depois, terá que cumprir uma janela de 90 dias até ser oferecido em plataformas digitais”, declara Marcelo Spinassé Nunes, idealizador do projeto e CEO da Encripta, empresa especializada em distribuição digital de conteúdo audiovisual.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here