Confira a programação do Teatro #EmCasaComSesc.

Série de transmissões de teatro pelo YouTube e o Instagram do Sesc Ao Vivo ocorre em quatro dias da semana, sempre às 21h30.

Iniciando a programação, na segunda-feira, dia 29, a atriz Lucélia Sergio encena a peça “Engravidei, Pari Cavalos e Aprendi a Voar Sem Asas”, da Cia. Os Crespos. O espetáculo investiga as relações entre afetividade, negritude, gênero e o impacto da escravidão na nossa maneira de amar, se debruçando sobre temas como relações familiares, alteridade, direitos reprodutivos, sexo e violência contra a mulher.

Em um jogo, no qual a plateia acompanha a transformação da atriz em diferentes personagens, a peça cruza fragmentos de vidas, sem necessariamente confrontá-las, entregando para o público a linha que costura seus caminhos. Classificação indicativa: 14 anos.

Na quarta-feira, dia 1º de julho, Débora Falabella apresenta um fragmento da peça “O Amor e Outros Estranhos Rumores”, do Grupo 3 de Teatro. Para o Teatro #EmCasaComSesc, o texto recebeu nova adaptação de Silvia Gomez, direção de Yara de Novaes e luz de Gabriel Fontes Paiva. Será apresentando o conto “Memórias do Contabilista Pedro Inácio”, em que a atriz irá viver o contabilista, cujo personagem soma os custos de sua vida amorosa. Risíveis e absurdas, essas histórias compõem um espetáculo que busca expressar o quanto há de ordinário e, ao mesmo tempo, extraordinário em nossas vidas. A encenação contará com participação especial de Gustavo Vaz.

Na sexta-feira, 3, Debora Lamm encena, de Grace Passô, a peça “Mata Teu Pai”. O enredo revisita o trágico mito grego de Medeia, inserindo a figura da feiticeira nos dias de hoje, criando assim um debate sobre a condição da mulher atual. “Preciso que me escutem!” diz uma Medeia tomada pela febre, em sua primeira fala na peça. Medeia está em movimento, vive em meio a escombros da cidade, e encontra mulheres de diversas nacionalidades: síria, cubana, paulista, judia, haitiana. Se vê na mesma condição de imigrante. Percorre um caminho interior, onde decide que quem tem que morrer é Ele, fazendo uma alusão direta ao patriarcado. Da companhia OmondÉ e com direção de Inez Viana, a peça estreou em 2017, passando por Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro. Debora Lamm é integrante e fundadora da Cia OmondÉ, que completa uma década de existência neste ano. Acumula mais de 40 espetáculos como atriz e diretora, 11 indicações e cinco prêmios de teatro no currículo.

Foto: Nana Moraes

Por fim, encerrando a programação da semana, no domingo, 5 a atriz Renata Sorrah encena “Em Companhia” , junto com o dramaturgo e diretor Marcio Abreu, a atriz constrói uma ação a partir de fragmentos dramatúrgicos das obras junto à companhia brasileira de teatro, coletivo de artistas de várias regiões do país.

Mesclam-se textos das peças “Esta Criança, Krum e Preto”, que construíram juntos, e ainda trechos de outras obras que auxiliaram na pesquisa e criação dos trabalhos, além de fragmentos de outras obras de sua trajetória.

A peça se articula a partir da fala pública de uma mulher em sua casa, vivendo a quarentena, em junho de 2020. Temas como isolamentos, lamentos, obscurantismos, nacionalismos crescentes, belicismos exacerbados, preconceitos e extremismos religiosos estarão em pauta, em uma sequência vertiginosa de momentos de intensidade da atriz.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here