Encontrar amigos e fazer música transportando o público para a intimidade de um estúdio de gravação é a ideia do projeto “Canto da Praya”, arquitetado por Hamilton de Holanda e Marcos Portinari e lançado agora pela Deck.

A cada edição Hamilton de Holanda recebe um convidado. A estreia, gravada em outubro de 2019, é com o cantor e compositor João Bosco de quem Hamilton é fã.

Os dois já tinham se reunido nos palcos do mundo na série “Eu Vou Pro Samba”. Para o “Canto da Praya” pensaram num repertório a partir dessa experiência. “A nossa intenção era contemplar o samba — nosso ponto de encontro das ideias musicais, da parte rítmica, da crônica que o samba sempre tem nas suas letras. Tínhamos um setlist básico, mas na hora dos ensaios fomos lembrando de uma coisa ali, sugerindo outra aqui. Tudo bem natural” – explica Hamilton.

Ao longo de oito faixas, tocaram juntos pela primeira vez “Ângela” (Antonio Carlos Jobim) e “Gagabirô” (João Bosco), além de clássicos como “Sinhá” (João Bosco/ Chico Buarque) ou “Incompatibilidade de Gênios” (João Bosco/ Aldir Blanc).

“Quando estou com João no palco me sinto um espectador e fico impressionado como ele está cantando cada vez melhor” – comentou Hamilton. João retribui: “O fantástico de estar com o Hamilton é essa liberdade que a gente tem de tocar o que a gente gosta, o que a gente quer e o que a gente admira. Se trata de um músico extraordinário porque qualquer coisa que você apresente, logo ele chega com seu bandolim e cria algo maravilhoso” – comentou Bosco.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here