Cinemateca do MAM exibirá duas mostras gratuitas através de novo canal on-line.

O dia 7 de julho de 1955 é celebrado como marco de fundação da Cinemateca do MAM, quando foi realizada a primeira sessão de filmes na sede da Associação Brasileira de Imprensa, ainda sob a denominação de Departamento de Cinema. No programa, três filmes sobre arte: ‘Escultura holandesa do fim da Idade Média’, ‘A janela aberta’ (evolução da paisagem do séc. XV ao séc. XX) e ‘Van Gogh’.

Ao longo de mais de seis décadas, a Cinemateca foi responsável pelo desenvolvimento cultural de diversas gerações de cinéfilos, cineastas, preservadores audiovisuais e daqueles interessados na história e na memória do cinema.

No mês em que celebra 65 anos de atividades,de divulgação e valorização do patrimônio audiovisual. Além disso, busca-se levar para este novo ambiente as mesmas orientações que norteiam a programação da sala de cinema: um espaço democrático, engajado e aberto para a diversidade da produção audiovisual brasileira, tanto do passado como do presente.

Inaugurando a programação on-line da Cinemateca, serão exibidas duas mostras. A Mostra Petrobras de filmes para crianças vai apresentar um conjunto de 26 produções brasileiras voltadas para a primeira infância, selecionadas pela Cinemateca com a colaboração do Dia Internacional da Animação e do CINEAD da Faculdade de Educação da UFRJ. Os filmes estão organizados em programas que unem animações realizadas a partir de diferentes técnicas a pequenos filmes denominados “Minutos Lumière”, criados por crianças em exercício audiovisual que visa recuperar os gestos iniciais dos cinegrafistas da empresa dos irmãos Lumière. Serão apresentados, também, vídeos com os curadores, que exibem a seleção e contextualizam as obras para o público.

A mostra Cinemateca 65 anos foi concebida para marcar a data que celebra a importante trajetória da Cinemateca do MAM. Em quatro programas, serão três longas e cinco curtas que lembram aspectos e momentos de sua história e de sua missão, tanto na preservação quanto na difusão da memória do cinema brasileiro.

Aliás, a mostra apresentará um programa concebido pela Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA) que reúne cinco obras conservadas por diferentes instituições de memória, que sublinham a importância de uma ação coletiva na proteção e valorização do patrimônio audiovisual. Nesta sessão, serão exibidos Gafieira, de Gerson Tavares, Creche-Lar, de Maria Luiza Aboim, Carnaval de Rua – Porto Alegre, produzido pela Wilkens Filmes, Pantera Negra, de Jô Oliveira, e Eclipse, de Antônio Moreno.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here