Psicóloga há mais de 30 anos atendendo majoritariamente mulheres e vivendo suas dores e seus problemas, a psicoterapeuta Dra. Anahy D’Amico e agora autora já teve incontáveis contatos com o problema. “Nunca consegui me calar diante de mulheres que vivem relações desiguais e abusivas. Em todas essas frentes, aprendi uma lição: nós temos o melhor radar do mundo para entender se situações, pessoas e oportunidades são boas ou não.”, ela afirma no livro.

De acordo com a Dra. Anahy, reconhecer relacionamentos abusivos requer autoconhecimento, pois não é fácil desconstruir o que somos e modificar nossa visão de mundo, relacionamentos, expectativas e necessidades.

Em “O amor não dói”, a psicoterapeuta explica como essas relações problemáticas surgem, abordando questões como a maneira como as mulheres são vistas na sociedade, a falta de repertório sobre relacionamentos saudáveis e o medo do abandono, constante em um país com mais de 6 milhões de indivíduos cujo nome do pai não é mencionado no registro de nascimento. No decorrer das páginas, ela oferece ferramentas para que as leitoras aprendam a se conhecer melhor e a optarem por si mesmas dentro das relações. “

Na obra, ela discorre sobre as diversas características do amor saudável, como livre, generoso, espelho, independente, gentil, carinhoso e respeitoso, além de incentivar a sororidade, ressaltando a importância do acolhimento que precisam dar a volta por cima por parte de outras mulheres e desencorajando os preconceitos sociais e as críticas superficiais.

 Com “O amor não dói”, a Dra. Anahy busca traz consciência e conforto para as leitoras que enfrentam a questão ou conhecem alguém passando pelo problema.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here