Escrita em 1948, a peça “Anjo Negro”, de Nelson Rodrigues, ganha novo formato a partir do olhar de Antonio Quinet, psicanalista, dramaturgo e professor da Universidade Veiga de Almeida (UVA). A produção, realizada durante a quarentena tem o formato híbrido e mescla teatro, série, cinema com cenas ao vivo, além de intervenções ao vivo. A estreia do Episódio – ato 1: “A maldição” será neste sábado (31), às 20h.

Aliás, a peça-série-metragem terá três atos que serão apresentados em momentos distintos durante sua estada em cartaz. Classificada como mítica na dramaturgia Rodrigueana, que mescla Eros e Tânatos, a montagem é uma versão brasileira do mito trágico de Medeia. A narrativa dessa versão gira em torno de um relacionamento conturbado tendo como ponto de partida o velório de terceiro filho do casal conflituoso, Ismael e Virgínia.

Além disso, “Anjo Negro” traz à tona o racismo estrutural que não poupa ninguém, colocando em cena o inconsciente com seus paradoxos, paixões e crimes. “Esta montagem expressa a pesquisa acadêmica que desenvolvo na universidade sobre psicanálise e teatro. Meu objetivo é trazer o inconsciente como sonhos, sintomas, paixões, culpas – à cena”, diz Quinet, que, além de docente no Mestrado e Doutorado de Psicanálise, Saúde e Sociedade da UVA, também é psiquiatra, doutor em filosofia e diretor da Cia Inconsciente em Cena.

Serviço:
“Anjo Negro”
Estreia: 31 de outubro – 20h
Datas das apresentações: 1º Ato – 31/10, 06, 07, 13,14, 20. Estreia do 2º Ato: 21/11. Apresentações do 2º Ato – 27 e 28/11, 04,05 e 11/12. Estreia 3º Ato: 12/12. Apresentações 3º Ato – 18,19, 26/12.
Classificação: 12 anos
Duração: 60 minutos
Ingressos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here