A mostra Lumière Cineasta retorna ao cinema do CCBB Rio de Janeiro, onde deu uma pausa, em março, bem em tempo de comemorar os 125 da primeira sessão pública de cinema, realizada em 28 de dezembro de 1895. Neste dia histórico, os irmãos Auguste e Louis Lumière projetaram no Salão Indien do Grand Café, em Paris os seus primeiros filmes, as chamadas “vistas”.

Saiba mais!

Neste retorno, o evento será gratuito. Até 20 de dezembro serão exibidas 114 vistas, produzidas entre 1895 e 1905, em diálogo com 38 produções de diversos diretores, formatos e épocas. Como uma introdução à mostra de filmes, no dia 25 de novembro, acontece a primeira aula do curso com professores convidados e os curadores. Serão quatro aulas que explorarão alguns desdobramentos do cinema dos Lumière.

Todas as vistas Lumière (filmes, na sua maioria, de um único plano de 50 segundos, a duração do rolo de película de 17 metros), serão exibidas em formato digital full HD. Elas foram divididas em 19 programas, que destacam os principais temas abordados nos filmes da Societé Lumière – cidade, natureza, trabalho, viagem, retrato familiar, registro da modernidade etc.

Aliás, a maioria das sessões será iniciada com uma seleção de vistas Lumière, complementada por filmes (curtas, médias e longas-metragens) como Um dia no campo (Jean Renoir, 1936), Playtime (Jacques Tati, 1967), Do polo ao Equador (Angela Ricci Lucchi e Yervant Gianikian, 1986), Goshogaoka (Sharon Lockhart, 1997) e outras obras de cineastas como Buster Keaton, Dziga Vertov, Vittorio De Seta e Shirley Clarke, entre outros.

“A mostra surgiu de uma vontade de ver os filmes dos Lumière não apenas como marcos históricos e os irmãos não só como homens de ciência ou comerciantes, mas também como cineastas de fato. Ou seja, artistas – pessoas que tiveram um pensamento criativo sobre o que fizeram. O caminho que imaginamos para realizar a mostra foi colocar os Lumière em relação ao cinema posterior, buscando entender como eles serviram de influência ou inspiração para outros nomes das décadas seguintes”, comenta Lucas Baptista.

Dentro da programação da mostra será oferecido um curso gratuito de quatro aulas, on-line, sempre às 19h, com a professora de cinema da UFF Lúcia Ramos Monteiro (“O mundo e o fundo: Camadas de visão no cinema dos Lumière”, dia 25/11), o curador Calac Nogueira (“Lumière, Thomas Edison e atração”, 02/12), o pesquisador e crítico de cinema Luiz Carlos Oliveira Júnior (“Retratos em movimento”, 09/12) e o curador Lucas Baptista (“O futuro de uma invenção: Hollis Frampton e o catálogo Lumière”, 16/12). Não precisa fazer inscrição para o curso e o link para as aulas será divulgado na página da mostra no Facebook: www.facebook.com/lumierecineasta

Haverá também uma “sessão inclusiva”, com audiodescrição, LIBRAS e legendagem descritiva, do programa “Rumo ao Oriente”, no dia 21/12, às 15h.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here