Os amantes do Rio vão se deliciar com o novo Almanaque Carioquice! O charmoso guia desta vez passeia pelos recantos e encantos de 120 bairros, dos 163 existentes. Além dos mais famosos não somente na cidade, mas no mundo, como Copacabana e Ipanema, há outros também cheios de preciosidades ainda pouco conhecidas.

O Rio de Janeiro vai muito além do Cristo Redentor, do Pão de Açúcar, do Maracanã, da Apoteose e das belíssimas praias. A cidade, chamada maravilhosa, tem muitas outras maravilhas, capazes de surpreender até quem a conhece bem.

A edição do Almanaque Carioquice 2021 acaba de ser lançada pelo Instituto Cultural Cravo Albin (ICCA), em parceria com a Insight Comunicação. O guia festeja a pluralidade cultural do Rio e atiça a curiosidade. “O Rio de Janeiro já é por si só de tal maneira uma sedução ardente, que exala a cultura. Eu confesso que quando falo do Rio de Janeiro me emociono. É a minha grande paixão”, derrete-se Ricardo Cravo Albin, presidente do ICCA.

Nesta edição, em função da pandemia, a festa de lançamento do Almanaque foi substituída por uma campanha para elevar o astral do Rio. Em vídeo, com a participação de cariocas ilustres, a protagonista é a carioquice – um estado de espírito do Rio de Janeiro. Aliás, os artistas Zeca Pagodinho, Noca da Portela, Moacyr Luz, Deise Novakoski, Nélida Piñon, Geraldo Carneiro e Ricardo Cravo Albin contam histórias sobre jeito de ser da cidade maravilhosa. O vídeo poderá ser visto no Instagram.

Além disso, a publicação está em sua quarta edição e apresenta as peculiaridades de cada bairro e suas histórias no melhor jeito carioca de ser. Com 124 páginas, o Almanaque Carioquice traz, certamente, dicas como, por exemplo, o circuito de cinco prainhas só acessíveis por barco ou trilhas no litoral de Barra de Guaratiba; o ateliê de vitrais em Bonsucesso, uma das últimas fábricas do tipo no mundo, e sugere um passeio para conhecer o Mosteiro de Nossa Senhora dos Anjos, no alto da Gávea, onde as Irmãs Clarissas vivem em reclusão.

Surpreendentemente, muitos cariocas da gema desconhecem o elevador panorâmico na Glória – o Plano Inclinado do Outeiro da Glória que descortina amplo visual da Baía de Guanabara; a floresta urbana da Reserva Florestal do Grajaú; e o conjunto de moradias populares em Guadalupe, que replicou a arquitetura dos esquimós. O Almanaque também leva o leitor para passear pelo Cemitério das Polacas, em Inhaúma, e conhecer um pouco mais da história de uma parcela de imigrantes da comunidade judaica no Rio; em terras da Garota de Ipanema, para conhecer o Museu da Favela; e em Irajá para dar um pulinho na Paróquia Nossa Senhora da Apresentação, que ostenta o título de a mais antiga do Rio.

Um paraíso para amantes de jardinagem, decoração e gastronomia é a Chácara Tropical no Itanhangá; e quem poderia imaginar em um passeio pelo Jardim Botânico dar de cara com um antigo engenho de moagem: a Casa dos Pilões; encontrar e degustar, no Joá, um pedacinho da Suíça: o restaurante Hansl. Já na zona Norte da cidade, para quem for a Madureira vale visitar a Casa do Jongo da Serrinha. E quem disse que no Maracanã só tem clássicos de futebol? Lá tem também a Casa Up Leon, sede de companhia circense. Provas de que o Rio é plural e, ao mesmo tempo, único.

O Almanaque Carioquice, uma verdadeira viagem pelos encantos e histórias do Rio, une, em textos e imagens, a beleza de uma cidade efervescente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here