E.S.P.A.D.A. começa a encarar a vingadora como uma verdadeira ameaça.

“WandaVision” segue expandindo ainda mais o Marvel Universe, a diferença é que o quinto episódio não criou uma expansão, e sim uma explosão de possibilidades. A série continua firme em seu ritmo como uma locomotiva, aqui nós vamos colocar um pouco de lado as partes técnicas, e focar no roteiro e em possíveis teorias.

No episódio anterior, foi mostrado o que acontece no mundo real enquanto Wanda controla sua micro realidade paralela. Neste episódio existe, enfim, a junção dos dois episódios. Visão percebeu que sua amada está de fato controlando tudo ao redor deles. A E.S.P.A.D.A. começa a encarar a vingadora como uma verdadeira ameaça, além dela mesma se tornar ameaçadora de forma que nunca foi visto.

O roteiro aproveita e usa piadas internas de outros filmes, como o fato da Feiticeira Escarlate ter quase derrotado Thanos sozinha, aliás, é, justamente, por aí que o roteiro começa a revelar a natureza do verdadeiro poder da Feiticeira. Como já dito em outras críticas da série, o poder original da personagem é manipular probabilidades, traduzindo: ela altera a realidade em nível atômico. Além disso, é sempre bom lembrar que Wanda é uma mutante nível Ômega, o mais elevado em poder.

Sempre evito dar grandes spoilers nos textos sobre a série, contudo não podemos evitar desta vez. Caso o leitor não tenha visto o episódio por inteiro, talvez seja melhor ler esta crítica após terminar de vê-lo.

A morte de seu irmão, Pietro, em Vingadores: Era de Ultron causou uma ruptura no emocional de Wanda, que posteriormente foi suprida por Visão, que também morreu. Então cada vez mais, Wanda perde figuras importantes em sua vida. Assim, fica claro também que seus poderes estão conectados com suas emoções. Seu ápice contra Thanos também foi seu momento de maior fúria. O que, de fato, causou uma explosão de possibilidades foi a aparição de Pietro, interpretado por Evan Peters. Lembrando que Peters fazia o personagem na antiga franquia de X-Men da Fox, que agora faz parte do grupo Disney.

Essa volta gigantesca é necessária serve para levantar esta teoria de que “WandaVision” pode ser a abertura para, enfim, introduzir os X-Men no MCU.

Aliás, nunca foi dito dentro do MCU a palavra Mutante, pois essa marca pertencia a outro estúdio. Só que agora, como tudo está dentro da Disney, não há problemas em cita-los, além disso, é de conhecimento que Wanda é uma mutante filha de Magneto. Considerando eventos dos quadrinhos Marvel, como a Dinastia M, é fato que a personagem tem poder para mudar a realidade a ponto de criar os Mutantes.

Lógico que é apenas uma teoria, mas é possível. “WandaVision” terminou o episódio com um gancho gigantesco e mostrando uma maestria de roteiro impecável até o momento.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here