Julho é mês de caminhar virtualmente com o Rolé Carioca pelas construções e arquitetura do Rio de Janeiro, que lhe renderam em 2019 o título de primeira Capital Mundial da Arquitetura, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Referência por sua diversidade urbanística e por arquitetos e paisagistas mundialmente conhecidos, como Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Lúcio Costa, a cidade é o tema do Rolé na Rede de 25 de julho. Aliás, o título inédito foi anunciado após parceria firmada entre a Unesco e a União Internacional dos Arquitetos (UIA). Além disso, com a iniciativa, o Rio de Janeiro foi escolhido para sediar o 27º Congresso Mundial de Arquitetos, que acontece este mês.

Pensar nos diferentes tipos de prédios, construções e paisagem urbana do Rio nos ajuda a entender a nossa história. Capital enquanto colônia, durante o império e por boa parte da república, a arquitetura atual da cidade reflete esse histórico de transformações, exibindo exemplares emblemáticos de diversos estilos arquitetônicos. O roteiro pretende resgatar a história da cidade a partir de quatro desses estilos — Colônia/Império, Ecletismo, Art Déco e Modernismo —, e de pontos físicos marcantes e representativos de cada um deles.

O Rio de Janeiro tem, certamente, um rico acervo arquitetônico que nos permite compreender um período da nossa história. A arquitetura, surpreendentemente, reflete nossas transformações e acaba por falar da própria cidade e país. Por isso, nada mais oportuno do que passear por esses lugares que muitas vezes foram palco de fatos históricos.

Ao longo do trajeto guiado pelos historiadores Roberta Baltar e William Martins, o intuito é voltar ao tempo do Brasil Colônia ao visitar o Mosteiro de São Bento, que levou mais de 100 anos para ser construído (de 1633 a 1798), e o Paço Imperial (1743), palco de alguns dos principais acontecimentos históricos e políticos da corte.

Na Cinelândia e seus arredores, os rolezeiros vão encontrar a síntese do ecletismo carioca, com a Biblioteca Nacional, considerada pela Unesco uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo e a maior da América Latina, e o Theatro Municipal, que reina absoluto na praça com suas cúpulas e escadarias.

As linhas retas, o concreto e a simetria do Art Déco são inconfundíveis no edifício A Noite, marco da arquitetura brasileira e o primeiro arranha-céu da América Latina, e na mundialmente conhecida Central do Brasil. Aliás, a cidade do Rio de Janeiro é considerada a capital do Art Déco da América Latina, e tem a maior estátua Art Déco do mundo, o Cristo Redentor.

Os rolezeiros poderão conhecer as construções modernas, de linhas simples e geométricas de Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Affonso Eduardo Reidy: o Palácio Gustavo Capanema (1043), que tinha Costa, Niemeyer e Burle Marx no projeto; o Sítio Burle Marx, aberto ao público em 1995 e reconhecido como uma das mais importantes coleções de plantas vivas existentes no mundo e o Museu de Arte Moderna (MAM), um projeto de Reidy e com jardins de Burle Marx.

SERVIÇO
Rolé na Rede – Rio, Capital Mundial da Arquitetura
Data: 25 de julho (domingo)
Hora: 10 horas
Participação: O link do Zoom será liberado às 09h50 nos perfis do projeto (Facebook e Instagram)
Duração: aproximadamente 1 hora
Gratuito – Não é necessário fazer inscrição
Site: http://www.rolecarioca.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here