No mês de aniversário do cineasta e compositor moçambicano naturalizado brasileiro, Ruy Guerra, a plataforma de streaming do Itaú Cultural organizou uma programação especial em sua homenagem.

Integram o catálogo dois longas-metragens feitos pelo diretor, na década de 60, e dois documentários sobre sua trajetória e ideias, entre eles o curta inédito Cinema de Guerra – o fora de quadro. Além dos filmes que já estão no catálogo aos de Glauber Rocha, morto há 40 anos em 22 agosto, ambos são expoentes do Cinema Novo brasileiro. Aliás, ainda neste mês, ainda, Guerra  participa no dia 16, do podcast +70, programa de entrevistas do site do Itaú Cultural.

A partir de 13 de agosto (sexta-feira), a plataforma de streaming do cinema e audiovisual brasileiro Itaú Cultural Play acrescenta em seu catálogo uma mostra de filmes dedicada especialmente ao cineasta Ruy Guerra. Com dois longas-metragens do diretor, Os cafajestes e Os fuzis, e dois documentários realizados em sua homenagem, O homem que matou John Wayne e Cinema de Guerra – o fora de quadro, a programação celebra os 90 anos de um dos maiores criadores do cinema brasileiro.

Gravado em 1963, Os fuzis é considerado um marco do cinema brasileiro moderno. Vencedor do prémio Urso de Prata no Festival de Berlim daquele ano, o filme mescla documentário e ficção tendo conquistado a crítica e o público com um retrato da violência, fome, desigualdade e repressão da época.

Outro clássico do cineasta disponível na plataforma é Os cafajestes. Este filme marcou época pela inovação na linguagem e o envolvimento em escândalos durante o ano de gravação, em 1962. Conhecido por exibir o primeiro nu frontal do cinema brasileiro, a narrativa transcorre entre as histórias de dois homens que vivem realidades totalmente opostas na cidade do Rio de Janeiro.

Produção inédita sobre Ruy Guerra, o curta-documental Cinema de Guerra – o fora de quadro foi realizado por Diogo Oliveira, parceiro de trabalho do cineasta. Em três minutos de imagens, o filme capta as ideias do homenageado a respeito da linguagem audiovisual, em especial, a natureza do quadro e sua repercussão na imaginação do espectador.

A Itaú Cultural Play também inclui no catálogo O homem que matou John Wayne. Entre o documentário e a ficção, o filme é uma jornada poética através das ideias de Ruy Guerra, incluindo sua contribuição para a literatura, a música e o teatro. Realizado em 2015, pelos cineastas Bruno Laet e Diogo Oliveira, a produção é conduzida a partir de um encontro imaginário entre Guerra e o ator americano John Wayne. Com depoimentos de Chico Buarque, do escritor Gabriel García Marquez e do cineasta Werner Herzog, o filme viaja pelas ideias e os filmes do diretor, responsável por obras fundamentais do cinema brasileiro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here