Foto: Ana’s Photography

“Corpos SãoS em todo lugar + Lágrima” é a apresentação de dois trabalhos diferentes, mas que se conectam através da apresentação de corpos diversos e potentes em cena, indo além do discurso e, literalmente, dançando onde todo corpo puder dançar, independente da forma física.

Com onze bailarinos em cena, “Corpos SãoS em todo lugar” é uma crítica aos padrões estéticos no meio da dança que visa mostrar que toda parte do corpo é bela e única, especialmente quando tocada pela imaginação, exaltando, dessa maneira, a beleza e a potência dos corpos reais e diversos.

Já o espetáculo “Lágrima” busca refletir sobre as ausências e carências que nos permitem ver que a lágrima em si é esse fluido humano que nos iguala e conecta, ainda que distantes.

“Lágrima” começou a ser idealizado em um mundo antes da pandemia, mas, agora, em meio a esse “novo normal”, em que olhamos mas muitas vezes não vemos, onde podemos até mesmo esquecer como é o rosto das pessoas por baixo de uma máscara, esse trabalho faz ainda mais sentido.

Já “Corpos SãoS em todo lugar” vem para mostrar que a pressão estética pode afetar todo tipo de corpo, mesmo os considerados dentro do “padrão” de beleza. É um tema que não se esgota, principalmente no meio da dança, onde falar de pressão estética é ainda considerado por muitos um tabu. São dois trabalhos muito diferentes, mas que se conectam pelo mesmo propósito: o de mostrar que a dança pode – e deve – abraçar corpos diversos que, quando colocados juntos em cena, mostram mais do que movimentos ensaiados. Mostrar que “todo corpo pode dançar” é uma celebração à vida!”, ressalta Tamires Serpa.

Serviço:
Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro: Rua José Higino, 115. Tijuca.
Data: de 16 a 31/10, sábados e domingos, às 14h.
Horário: 14h (duas da tarde)
Duração: 50 minutos
Sympla: https://www.sympla.com.br/corpos-saos-em-todo-lugar–lagrima__1349811

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here