"O Amor e a Peste" “O Amor e a Peste” é inspirada na vida e obra de Anais Nin e Antonin Artaud, além dos diários escritos pelo próprio casal de atores durante o isolamento social. Além disso, foram trazidas ainda as reflexões sobre erotismo de Bataille, Lou-Andreas Salomé e Deleuze. A Obra criada pelos atores Flavia Couto e Pedro Guilherme  tem direção de Marcela Lordy.

O projeto, que já foi apresentado como experimento cênico on-line ao vivo no começo do ano na casa dos atores, com dois fragmentos “Da Vida à Arte” e “Da Arte à Vida”, é agora experimentado em versão única, explorando os limites de linguagem entre o audiovisual, o teatral e as artes plásticas.

“O Amor e a Peste” nasceu de uma imersão realizada no período de isolamento durante a pandemia, tendo como ponto de partida e inspiração as relações entre vida e arte suscitadas no encontro artístico e amoroso de Antonin Artaud e Anaïs Nin. Esses artistas emblemáticos inspiraram os atores e criadores a escrever diários, reflexões e inquietações durante o período de isolamento, acerca dos processos vividos por eles, tanto no âmbito da vida, como da criação.

O casal de artistas transpõe poeticamente a experiência de viver uma relação afetiva em meio ao confinamento em um apartamento em São Paulo, no Brasil de Bolsonaro, a impotência diante da realidade, a contaminação pela Covid-19, o luto por uma mãe e por uma filha, num extremo da turbulência do momento político-social.

Serviço:
Local: YouTube
Exibições de 26 de novembro a 05 de dezembro
De sexta a domingo, sempre às 21h
Duração: 61 minutos
Classificação: 14 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here