Se você é daqueles que curte saborear suculentas receitas em casa, no seu sofá, bem à vontade, fique atento. A partir de dezembro, a descolada dark Kitchen Po’boys Soul Food passa a operar em feiras gastronômicas da Cidade Maravilhosa. “Com avanço das vacinas, decidimos voltar ao nosso DNA e ter contato com o público. As entregas em domicílio serão suspensas e os comensais podem nos encontrar nos eventos, conforme anunciarmos no instagram”, explica o chef Pedro Pedro Attayde. Entre os eventos já confirmados para este ano, a Junta Local, está on!

Entre sanduíches de New Orleans, preparados na baguete de pão francês, o Crispy Pork (R$28,90) – porco empanado na farinha panko, relish de tomates, salada coleslaw e cebolinha. Há também o Cajun Cheesesteak (R$31,90) – leitura do clássico Cheesesteak da Philadelphia com tiras de porco com cajun spice, cobertas com molho de cheddar próprio e cebola grelhada. E, ainda, o vegetariano Veggie Bahn Mi (R$26,90) – couve-flor tostada no azeite de curry, pasta de tomate assado, pepino fresco, picles artesanal de cenoura, maionese de chilli e coentro fresco.

Para acompanhar, batata de verdade, assadas e fritas. Nada daquelas congeladas! A Batartare (R$12 – 300g) é rústica e recebe sal temperado e o molho tartare da casa. Já a Fancy Fries são finalizadas com mussarela maçaricada, molho cheddar, filé suíno com caju spice, cebolinha e o nosso creole mustard sauce (R$25 – 600g).

Quem deseja mais sugestões para complementar a experiência, o Freakin Nuggets (R$20 – 12 unidades) é temperado com cajun spice, empanados em farinha secreta e o comensal pode escolher dois tipos de molhos da casa para mergulhar a delícia.

O legado culinário, formado desde a colonização com a combinação das culturas francesa, africana e americana, desenvolveu surpreendentes receitas do estilo “soul food”. A expressão, que surgiu nos anos 60 em meio ao movimento dos direitos civis, veio da “soul music” para designar a alimentação dos negros americanos.

o Po’boy foi criado pelos irmãos Martin, ex condutores de bonde elétricos que trabalharam a vida toda no ramo, mas queriam fazer algo diferente e abriram a mercearia Martin Brothers Grocery. Em 1929, durante a grande depressão americana, os condutores de bondes não estavam sendo pagos e entraram em greve. Por sua vez, os proprietários das empresas trouxeram criminosos de Nova York para conduzir os bondes.

O clima da cidade estava tenso, as pessoas passavam dificuldade e a ação gerou protestos em solidariedade aos profissionais. Qualquer bonde não conduzido por um motorista licenciado, era virado e incendiado. Em apoio a causa, os irmãos Martin anunciaram que todos os grevistas, que estivessem na frente da loja com suas licenças, seriam alimentados. “We are gonna feed our poor boys”, disseram.

Para ser economicamente viável, os irmãos procuraram um padeiro local, que era francês, e desenvolveram uma baguete grande o suficiente para ser dividida e com textura própria para receber bastante molho sem desmanchar. Inicialmente serviam recheados de batatas fritas e roast beef com gravy (molho de carne). Hoje, há inúmeros sabores.

E assim nasceu o Po’boy – alimento dos “poor boys” ou jovens pobres – que fez fama rapidamente e unia diferentes classes sociais em um único lugar, desde crianças até idosos. É muito importante na tradição local e é considerado uma iguaria. Desde 2007 a cidade homenageia com a realização do “Oak Street Po-Boy Festival”.

O Po’boys Soul Food fica na Rua Carlos Vasconcelos 60 na Tijuca. Telefone: (21) 976038003 / Horário de funcionamento: De quarta a domingo das 18h às 23h / Delivery: ifood e entrega própria – pedir.to/poboyssoulfood / Instagram: @poboysbr

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here