BienalSurA Fundação Getulio Vargas (FGV) recebe a 3ª edição da Bienal Internacional de Arte Contemporânea da América do Sul (BienalSur), organizada pela Universidad Nacional de Tres de Febrero (Untref), a exposição recebe a instalação “Arena Parking, 2021” assinada pelo artista argentino Matías Duville que, por meio de suas projeções imaginárias, desenvolve intervenções no espaço do qual emerge o estranhamento.

Diante das linhas projetadas por Oscar Niemeyer, que é responsável pela arquitetura do Centro Cultural FGV, o artista convida os visitantes a refletir, “o que ela está fazendo aqui? Esta formação é real ou vem de um sonho ou de uma miragem?”.

 Na instalação, o público encontrará uma resposta, ou a pergunta permanecerá aberta. Aliás, segundo Matías Duville, a exposição é o lugar da arte, o lugar para questionar certezas a fim de repensar as condições do presente, ativar o senso crítico e lançar luz sobre possíveis futuros.

Matías Duville  trabalha com objetos, vídeos e instalações, embora sua obra desenvolva-se principalmente a partir do desenho. Suas obras evocam cenas desoladas com atmosferas rarefeitas e atemporais: furacões, maremotos ou situações de abandono na floresta. Funcionam como a visão onírica de um explorador errante, como uma paisagem mental. Referenciada no desenho, sua obra se caracteriza pela experimentação de suportes e materiais.

A tensão entre opostos, mutação e tempo são alguns dos temas que perpassam seus últimos trabalhos. Entre seus projetos mais recentes está o Hotel Palmera, com curadoria de Gabriel Pérez-Barreiro (Coleção de Arte Amalia Lacroze de Fortabat, Buenos Aires, 2020); Deserto significa oceano (MOLAA, Los Angeles, 2019); e Big Bang America (2019, com curadoria de Diana Wechsler e Florencia).

A instalação segue exposta no Centro Cultural da FGV, das 8h às 22h, até o dia 28 de fevereiro, com entrada gratuita.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here