Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

Parece que a fórmula Marvel era tudo que o Amigo da Vizinhança precisava para, de fato, sair pulando nas teias. O Homem-Aranha, certamente, sempre foi o super-herói mais querido de todos, principalmente porque ele é uma pessoa normal, ao menos em parte. Ele é um adolescente, sem dinheiro, sem fama, que só tem sua inteligência, esforço e seus amigos. Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa tem exatamente esse espírito. O filme traz de volta o porquê o Aranha é tão querido e também como ele é um personagem complexo.

O longa traz de volta o trio: Zendaya, Tom Holland e Jacob Batalon, porém agora com novos acréscimos, o Mago Supremo, Benedict Cumberbatch. Aliás, além dos mocinhos, o retorno de Alfred Molina, Willem Dafoe e Jamie Foxx como os os grandes vilões Dr. Octopus, Duende Verde e Electro eram super esperados também. Além disso, o hype da produção já começou nas alturas assim que o primeiro trailer saiu, mostrando o retorno dos vilões das franquias anteriores, logo a internet pipocou com teorias.

O fato é que o roteiro de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa é, certamente, um dos melhores de todo MCU. Escrito por Chris McKenna e Erik Sommers, a trama possui múltiplas camadas de profundidade, e em seu cerne ela trata do mesmo tema que foi repetido nas franquias anteriores, “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”, porém, por mais que o Aranha do MCU seja muito bom, ele não é exatamente o clássico dos quadrinhos. O apadrinhamento de Tony Stark acabou por mudar bastante os rumos do personagem.

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa vem exatamente para colocar o Homem-Aranha onde ele pertence, perto de nós. Esta aproximação com Peter Parker que é a responsável por nos conectarmos tão facilmente com o personagem.

A primeira camada do roteiro explora eventos passados com Mysterio revelando a identidade de Peter Parker. Já a segunda camada tem relação direta com a nova fase da Marvel, que é o seu Multiverso, neste caso uma ameaça, mas ainda é algo distante. Por fim, a camada mais profunda fala dos valores que compõem um herói. O maior fardo de todos os heróis é saber que eles não podem salvar todo mundo, ao passo que seu maior valor é nunca parar de tentar salvar todo mundo.

A qualidade do roteiro está totalmente inserida dentro das atuações do elenco, de todo o elenco, que funciona de uma forma tão orgânica. É um afago verdadeiro ver todos juntos. Um destaque em especial para Zendaya que, finalmente, teve mais destaque dentro da franquia para mostrar seu talento como atriz. A fotografia é muito bem dirigida, ainda que em certos momentos os efeitos especiais fiquem meio estranhos, todavia não é nada que atrapalhe a experiência.

Permitindo a ousadia,


  1.  é o melhor filme da Fase 4 do MCU e sem dúvida um dos melhores de toda Marvel. Ele é épico, nostálgico, engraçado e melancólico. É a jornada do renascimento de um garoto que enfim se tornou o herói que ele tem que ser.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here