Naturalistas revelam a riqueza natural e cultural do país.

Expedição científica pelo Brasil do século XIX ganha exposição virtual. Viajar mais de 10 mil quilômetros por terra e rios, do Rio de Janeiro até o coração da Amazônia, quando não se dispunha de estradas de ferro no país, e automóveis e lanchas nem tinham sido inventados, é, certamente, uma grande aventura.

Mais ainda, fazer esse percurso coletando milhares de exemplares de plantas, animais e artefatos e registrando, em textos e ilustrações produzidas a mão, as paisagens, a flora, a fauna e os povos encontrados, essa foi a grande aventura dos naturalistas Carl Friedrich Philipp Von Martius (1794-1868) e Johann Baptist Ritter von Spix (1871-1826), que é tema da exposição virtual “Spix e Martius, uma viagem pelo Brasil, 1817 – 1820”.

A Expedição científica pelo Brasil do século XIX está disponível para o público desde de 30 de dezembro de 2021, a exposição faz parte das comemorações dos 20 anos de criação da Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (ENBT/JBRJ).

Aliás, uma exposição física de mesmo nome teve lugar no Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro em 2017, quando se celebraram os 200 anos da chegada de Martius e Spix ao Brasil. Além disso, em sequência, um livro foi editado em parceria com Andrea Jakobsson Estúdio. Agora, em 2021, a exposição virtual completa uma trilogia e convida o público a navegar digitalmente nos percursos desses naturalistas bávaros que revelaram a riqueza natural e cultural do país para os próprios brasileiros e para o mundo.

A exposição está distribuída por oito “salas”, em que a história da expedição é contada e contextualizada, e o enorme trabalho científico realizado por Spix e Martius é apresentado. O Brasil visto pelos olhos dos dois naturalistas aparece nos registros feitos por eles em ilustrações e textos, que dialogam com conhecimentos atuais em uma variedade de áreas como Botânica, Zoologia, Ecologia, Geografia, História, Antropologia e Linguística, entre outras. O conteúdo foi produzido por um time de pesquisadores de cinco instituições, sob a curadoria do professor e ilustrador botânico Paulo Ormindo, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e da ENBT.

A exposição traz vídeos – em formato de breves documentários – e imagens de raras ilustrações de mais de cem espécies de plantas e animais, de mais de 30 paisagens dos biomas brasileiros e de quatro tribos indígenas. As 59 espécies de plantas ilustradas e as fotografias de mais de 50 exsicatas (amostras de plantas secas) coletadas por Martius no Brasil, além das ilustrações de 48 espécies de animais, são apresentadas de forma detalhada.

Destacam-se na mostra as espécies descobertas pelos naturalistas, bem como espécies emblemáticas dos biomas percorridos por eles e algumas hoje ameaçadas de extinção. Todas são apresentadas com seus nomes populares, nomes científicos da época e nomes científicos atualizados segundo a Flora do Brasil e o Catálogo Taxonômico da Fauna do Brasil. Também são fornecidas informações atuais sobre sua distribuição geográfica e a avaliação do risco de extinção, seguindo o Livro Vermelho da Flora do Brasil, o Livro Vermelho da Fauna do Brasil e a lista global de espécies avaliadas da União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN).

A visita à exposição pode ser realizada pelo computador e pelo celular, permitindo o acesso mesmo para quem não conta com banda larga. A locução é em português, com legendas em inglês e espanhol, e todo o conteúdo está disponível para ser baixado em PDF.

A oportunidade de acesso de diferentes maneiras foi um dos grandes desafios enfrentados pelos realizadores. Para facilitar a navegação, uma barra lateral em todas as salas permite trocar de idioma, baixar PDFs, acessar bibliografia e links de interesse, entre outras possibilidades. O curador destaca especialmente as possibilidades de utilização dos conteúdos, aproximando públicos diversos, estudantes, professores e pesquisadores de diferentes lugares do país e do exterior. “Diferentes tipos de fontes, como imagens, textos, mapas do século XIX, bem como links de entrevistas e de instituições, permitirão diferenciados usos dos nichos expositivos”, ressalta Ormindo.

A realização é da Associação de Amigos do Jardim Botânico (AAJB), com direção de arte e design da artista Mary Paz e patrocínio da Bahia Holding. As pesquisas e textos são de autoria de Alda Heizer, Maria da Penha F. Ferreira, Patrícia da Rosa, Rafaela Campostrini Forzza e Rosana Simões Medeiros (JBRJ), José Augusto Pádua (UFRJ), Marco Antonio Palomares Accado Filho (Herbário/Fiocruz), Lorelai Kury e Kaori Kodama (COC/Fiocruz), Paulo Ormindo (UFRRJ e ENBT/JBRJ) e Renato de Mello-Silva (USP) (in memorian).

Serviço
Expedição científica pelo Brasil do século XIX “Exposição virtual Spix e Martius, uma viagem pelo Brasil, 1817 – 1820”
A partir de 30/12/2021.
https://www.expodigitalspixemartius.com.br/
Curadoria: Paulo Ormindo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here