Primeiro submarino nuclear brasileiro levará seu nome.

A partir do dia 1 de fevereiro, o Mast, Museu de Astronomia e Ciências afins, no Rio de Janeiro, inaugura a exposição “Álvaro Alberto: O Homem Que Sabia Demais”, onde o público poderá conhecer em detalhes quem foi e qual o legado deixado por este pioneiro e grande entusiasta das pesquisas brasileiras sobre energia nuclear.

Representante do Brasil na Comissão de Energia Atômica da ONU, fundador do CNPq e de uma rede de instituições que, aliás, até hoje, formula e conduz as políticas de ciência, tecnologia e inovação do país, Álvaro Alberto da Motta Silva recebeu o título de Almirante por suas contribuições com as pesquisas científicas da Marinha.

 Astuto, habilidoso e criativo, ele, certamente, abriu caminho para o uso pacífico da energia nuclear e criou o princípio da troca dos minerais raros do subsolo brasileiro por transferência de tecnologia com outros países. Seu legado é, surpreendentemente, tão duradouro que o primeiro submarino nuclear brasileiro, em fase de construção, levará seu nome.

A exposição é dividida em três eixos, que abordam biografia e história, energia nuclear e legado científico, de forma a apresentar a trajetória de Álvaro Alberto conectada à história da ciência no país.

Na chegada da exposição uma peça rara: a ultracentrífuga, usada para enriquecimento de urânio. Com 2 toneladas e 2,80m de altura, a ultracentrífuga chegou ao Brasil em 1956, após 3 anos de negociações secretas com o governo da Alemanha em um acordo de coorperação nuclear articulado por Álvaro Aberto.

Em outro ambiente, um passeio no elevador interativo com a “presença” de Álvaro Alberto, como ascensorista, levará o público a se “elevar” por diferentes espaços, envolvidos pelas diversas disciplinas e instituições da rede científica criada por ele, como Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CPPF); Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA); Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA); Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT); e Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

Álvaro AlbertoPor último o visitante explora a maquete do submarino Álvaro Alberto, o primeiro com propulsão nuclear feito no país, que passará a integrar a Força Naval Brasileira e tem previsão de lançamento em 2034, seguida de uma sala imersiva e interativa sobre o universo da Marinha.

Em cartaz até o dia 1 de julho, a exposição conduzirá os visitantes por uma jornada pela Ciência, apresentando os fatos e personagens que lançaram as bases da pesquisa e desenvolvimento científicos no Brasil e fizeram a diferença para o desenvolvimento do país.

“Esta exposição apresenta para as novas gerações a versatilidade e coerência de um defensor do desenvolvimento científico e tecnológico, e inspirador de um Brasil próspero. Ela apresenta para as novas gerações um legado que nos ensina, até hoje, a importância de investir no potencial humano.”, diz Liana Brazil, diretora criativa da exposição, junto com o curador Marcello Dantas, e co-fundadora da SuperUber.

O Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST)  fica na Rua General Bruce, 586, em São Cristóvão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here