Larica TotalO ano era 2008. A série curta, propositalmente com ares de improviso e sem intervalos comerciais, foi precursora de um formato que, poucos anos depois, popularizou-se na Internet. Apesar da estranheza (ou talvez exatamente por isso) causada pela narrativa e pela dramaturgia que revertia o tradicional enfoque de uma atração de culinária, “Larica Total” rapidamente se tornou um sucesso na tela do Canal Brasil, gerando uma legião de fãs que, aliás, o assistem até hoje.

Mesmo 10 anos depois de a última temporada ter ido ao ar, eles seguem pedindo a volta do humorístico. Os pedidos foram finalmente atendidos: no dia 19 de fevereiro, Paulo Tiefenthaler volta a encarnar o chef de guerrilha Paulo de Oliveira no especial “Larica Total – 10 Anos Depois”, que vai ao às 21h, no Canal Brasil e estará disponível, no mesmo dia, no Globoplay + Canais ao Vivo e Canais Globo.

O especial, que terá duração de 60 minutos, será dividido em duas partes. Na primeira, Paulo encontra Caito Mainier, Felipe Abrahão e Leandro Ramos, diretores do “Larica”, para relembrar histórias da época e falar sobre os motivos que os levaram a, surpreendentemente, parar de fazer o programa no auge do sucesso, além de definirem a receita e escreverem, juntos, o roteiro de um último “Larica Total”.

Na segunda parte, o quarteto volta ao apartamento no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, onde Tiefenthaler morava e o programa era gravado. Sob o mote “Dedo no Cozido e Gritaria”, Tiefenthaler interpreta novamente o icônico chef de cozinha Paulo de Oliveira para preparar um prato totalmente ao estilo “Larica Total”: como o nome sugere, um tradicional cozido.

“Larica Total” surgiu de uma ideia da editora executiva, Adriana Nolasco, e de seu marido, Terêncio Porto, também produtor. Além das gravações serem realizadas na cozinha da própria casa do ator, muitas coisas que vemos, como utensílios e figurinos, também eram do Paulo. E o ator conta como essa falta de privacidade e o fato de não existir uma fronteira rígida que o separasse do personagem tornava o trabalho exaustivo e o fizeram concluir que, depois de três temporadas, era hora de deixar o “Larica”.

“Reencontrar os cocriadores do programa foi e está sendo, certamente, essencial pra todos nós, resgatarmos potências fundamentais em nós. Só agora nós conseguimos entender o que aconteceu de uma maneira mais lúcida e amorosa. Somos amigos e essa relação se fortalece no encontro. Havia a possibilidade de uma desconexão, mas de cara a mesma energia estava lá na hora, como sempre”, explicou Tiefenthaler.

Além disso, Tiefenthaler conta que, o ‘Larica Total’ foi e é uma das maiores referências de humor, ousadia estética, modelo de negócio e formato na história da TV brasileira. “Chegou uma hora que os canais queriam novos ‘Laricas Totais’, um programa bom e muito barato, mas obviamente não conseguiram. Viva a culinária de guerrilha! Ela quer dizer muita coisa além da comida e da cozinha. Divirtam-se. ‘Larica Total’ é um programa sobre o amor”, explica.

“Larica Total” estreou no Canal Brasil em 2008 e ficou no ar até 2012. Foram três temporadas, totalizando 74 episódios, nos quais foram preparadas receitas que se tornaram clássicos como o Frango Total Flex, o Sushi de Feijoada, Moqueca de Ovo, Churros de Aipim, Tortilha de Batata Blade Runner e o Ovo de Páscoa Natalino.

A série tornou-se rapidamente um sucesso de audiência do canal mostrando o solteirão Paulo de Oliveira preparando pratos simples e sem muita técnica, com ingredientes acessíveis – numa pegada completamente diferente dos outros programas de gastronomia da TV paga.

“O ‘Larica’ foi um divisor de águas no Canal Brasil. Um programa pioneiro na TV brasileira, que ampliou muito o horizonte e o alcance do canal, trazendo um público mais jovem. O programa tem o DNA do Canal Brasil, reforçando conceitos que sempre foram importantes para a gente, como a irreverência e uma boa dose de transgressão”, afirma André Saddy, diretor-geral do Canal Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here