Franquia de games tem tudo para se tornar sucesso nas telonas!

“Uncharted” é, certamente, uma das maiores franquias de videogame da história! Agora, enfim, ela chega aos cinemas, depois de mais de 10 anos de produção.

Quem me conhece sabe que sou um grande fã de games, e pra falar a verdade, sempre fico na expectativa quando um jogo vira filme, dada toda complexidade entre as mídias. Na verdade uma boa adaptação tem que ser o mais fiel possível ao game e obviamente levar e trazer novos elementos para um publico muito mais amplo que é o cinema, saber balancear isso não é fácil, mas é um caminho. E é isso que essa produção se dispõe a fazer, mas será que conseguiu?

Uncharted
Nathan Drake (Tom Holland) in Columbia Pictures’ UNCHARTED.

Uncharted: Fora do Mapa apresenta ao público o esperto Nathan Drake (Tom Holland) em sua primeira aventura de caça ao tesouro com seu sagaz parceiro Victor “Sully” Sullivan (Mark Wahlberg). Em uma aventura épica repleta de ação que se estende por todo o mundo, os dois partem em uma perigosa busca pelo tesouro de Fernão de Magalhães, enquanto rastreiam pistas que podem levar ao paradeiro do irmão há muito perdido de Nathan.

Aliás, é obvio que a estrutura de Uncharted traz toda referencia e elementos de filmes de caça ao tesouro, relíquias perdidas como Tomb Raider e é claro Indiana Jones, só por isso já se apresenta um filme bem divertido, com todos os clichês do gênero, vilões genéricos, amizades desfeitas, traições, enigmas a serem resolvidos.

Mas todos esses elementos não iriam funcionar se não fosse pelo carisma absurdo de Tom Holland, rodeado de criticas e muita desconfiança (inclusive por mim) por ser bem mais novo que o personagem Natan Drake do game, mas que em 10 minutos de tela isso vai por agua a baixo, dado todo o carisma e assertividade da produção, já que estamos falando do Homem Aranha da Marvel. Aliás, isso é fundamental para o filme ser vendável e ter um grande apelo de publico que nem sabe que o filme é baseado em um game.

Tom Holland da vida a um Nate mais novo, mas com um carisma absurdo, totalmente desenvolto no papel. Amparado a ele um ótimo Mark Wahlberg dando vida a seu mentor Victor Sullivan, que também é mais novo ainda que o personagem do game. Juntos em tela, a dupla da cara ao filme e mostra todo entrosamento e isso é uma marca fiel ao game.

A direção fica a cargo de Ruben Fleischer que conseguiu captar toda atmosfera do game, com cenas de ação muito bem feitas, bem produzidas e com ótima coreografia. Porém há um  ponto negativo, a sua duração, um pouco longo demais, ele se estende em seu segundo ato o deixando um pouco arrastado, na verdade Uncharted não traz elementos novos para o gênero e por muitas vezes fica uma sensação de Dejavu.

No fim das contas Uncharted ira agradar o fã do game em vários momentos e tem potencial para conquistar novos públicos, com duas cenas pós credito, a produção aposta em uma criação de universo e por consequência se tornar uma franquia, e para o bem de todos e felicidade geral da nação, tomara que isso se concretize.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here