Atriz é a primeira mulher a assumir a cadeira 17.

Fernanda Montenegro
Foto: Danielle Paiva/ABL

A atriz Fernanda Montenegro é a mais nova imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL). A artista tomou posse na noite desta sexta, 25 de março, quando passou a ocupar a Cadeira 17 da Academia, sucedendo o Acadêmico e diplomata Affonso Arinos de Mello Franco.

“Agradeço com meu coração e minha razão por estar sendo aceita nessa casa, protagonista, certamente, referenciada, da nossa mais alta cultura, que é a Academia Brasileira de Letras. Emocionada, tomo posse da cadeira Número 17. Sou atriz, venho desta mística arte arcaica, que é o teatro. Sou a primeira representante da cena brasileira a ser recebida nesta casa. Esse meu ofício expressa uma estranheza compreensão” , disse a atriz em seu discurso de posse.

Eleita com 32 votos para integrar o grupo de imortais no dia 4 de novembro de 2021, Fernanda Montenegro é a autora do livro “Prólogo, Ato e Epílogo”, sua autobiografia, além de uma carreira artística de renome.

Reconhecida como intelectual engajada e um dos grandes ícones da cultura brasileira, Fernanda Montenegro é a primeira mulher a ocupar a cadeira 17 da Academia Brasileira de Letras, Fernanda Montenegro assume posto de Sílvio Romero (fundador) — que escolheu como patrono Hipólito da Costa –, Osório Duque-Estrada, Roquette-Pinto, Álvaro Lins e Antonio Houaiss.

Premiada nacional e internacionalmente, a atriz é a única brasileira já indicada ao Oscar de Melhor Atriz pela atuação em Central do Brasil (1998), de Walter Salles. Emmy Internacional, o Festival de Berlim e o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro também fazem parte do currículo de premiações da atriz.

Fernanda Montenegro nasceu em 16 de outubro de 1929 no Rio de Janeiro. Sua primeira experiência no teatro foi aos oito anos, em uma peça da igreja. Em 1950, estreou profissionalmente nos palcos ao lado do marido Fernando Torres, no espetáculo 3.200 Metros de Altitude, de Julian Luchaire.

Em 1999, Fernanda Montenegro foi condecorada com a maior comenda que um brasileiro pode receber da Presidência da República, a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito “pelo reconhecimento ao destacado trabalho nas artes cênicas brasileiras”.

“A raiz dessa arte está na complexidade de só existir através do corpo e da alma de ator ou de uma atriz ao trazer a literatura dramática para a verticalidade cênica” finaliza Fernanda Montenegro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here