Espetáculo resgata de forma poética o múltiplo artista que foi Benjamim de Oliveira.

Inepta
Foto: Josélia Frasão

A Companhia artística Inepta Cia. homenageia Benjamim de Oliveira  traz aos palcos, o legado e a versatilidade do primeiro palhaço negro do Brasil em “Benjamim, te sigo Daqui!”.

O espetáculo reflete o talento de Benjamim de Oliveira, com sensibilidade e versatilidade. Nascido em Pará de Minas, aos 12 anos de idade, fez do circo sua caminhada.  No palco, de forma lúdica e bem humorada, apresenta múltiplas linguagens artísticas, além disso, conta com um diálogo entre a trajetória da Inepta Cia. com os caminhos e vivências do menino Beijo, conhecido também por popularizar o circo-teatro no Brasil.

“Mais do que valorizar esse grande nome da teatralidade circense brasileira afro-diaspórica, este projeto tem como objetivo provocar o público a reconhecer o legado deste grande empresário, compositor, dramaturgo, encenador, ator, músico, produtor cultural e palhaço do século XX”, ressaltou Junior Melo, proponente e ator do projeto.

Segundo Junior, assim como Benjamim, outros grandes artistas negros brasileiros precisam ser pesquisados. “É através dessa disputa de narrativas que nós podemos sonhar com uma memória crítica, que possa auxiliar na construção de políticas públicas e avanços para a população que constitui a maior parte deste país”, salienta.

Além da palhaçaria, Benjamim de Oliveira criava e reunia musicalidade e textos em cena, prendendo ainda mais a atenção de quem o assistia. Não sendo diferente no que depender do elenco potente do espetáculo, que também é uma saudação da Inepta Cia. ao artista. “Essa peça é nossa piada mais alegre e a poesia mais íntima dedicada ao menino de Pará de Minas. Aquele que nos ensinou que o melhor destino é a busca”, pontuou o ator Cássio Duque.

De acordo com a supervisora da encenação Tatiana Henrique, rememorar a vida de Benjamim é construir sua presença perene como exemplo do artista que é possível ser. “Personagens pretas e o tempo?! Como nos relacionamos com essas dimensões? Benjamim nos convoca a repensar sobre “efemérides” e “efemeridade”: o quanto nossas referências pretas são evocadas apenas nos anos 0 ou 5. Ou bem acordamos para as espirais que nos habitam ou continuamos a pensar o tempo linear ocidental e “pedimos licença” para encaixar nossos mestres”, disse.

 Para o ator Akauã Santos, além de homenageá-lo, a peça é uma forma de agradecê-lo. “Benjamim era um artista gigantesco multidisciplinar que inspirou, inspira e inspirará inúmeros artistas. Queremos reconhecer e trazer à luz onde o Benjamim vive, hoje”, pontua.

SERVIÇO
Teatro Gláucio Gil
Datas: 31 de março 1, 2, 3 de abril
De quinta à sábado, 20h e domingo 19h
Local: Endereço: Praça Cardeal Arcoverde, s/n – Copacabana, RJ
Teatro Arthur Azevedo
Datas: De 7 a 10 de Abril
De quinta a domingo
R. Vítor Alves, 454 – Campo Grande, Rio de Janeiro – RJ

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here