MillôrO já clássico texto de Millôr Fernandes, que nunca perde a sua contemporaneidade, “A História É Uma Istória”, está de volta em nova montagem, pelas mãos do premiado diretor Ernesto Piccolo. A comédia “histórico-histérica” traz ao palco, de forma descontraída e cheia de ironia, uma linha do tempo que começa na pré-história e segue até os dias atuais, abordando a evolução do homem de forma crítica e reflexiva.

Convidado para conduzir a direção, Ernesto Piccolo ressalta a contemporaneidade do texto, “Um espetáculo feérico, como propôs o mestre Millôr Fernandes. Uma retrospectiva da história cheia de humor e aventuras num ritmo alucinante. Um deleite que não perde a força né perde a atualidade”, afirma.

Questionando ídolos e os “grandes feitos” da humanidade, a peça foi encenada pela primeira vez em 1976. Aliás, a sua maior força na relação entre espectador e atores está no sarcasmo característico dos textos de Millôr Fernandes.

Para Bruno Ahmed, a montagem chega no momento ideal de provocar novas reflexões, “É um espetáculo atual e atemporal. No palco, mostramos fatos históricos que já aconteceram e que não vão mudar. No entanto, parece que o texto foi escrito hoje. Ele nos faz refletir sobre as decisões que tomamos ao longo da história e como diz Edmund Burke dizia: ‘O povo que não conhece a sua história está fadado a repeti-la'”, diz.

A ideia de reviver o espetáculo surgiu em 2017, quando Paula Barros criou uma cena baseada no texto para um festival de esquetes que se tornou um grande sucesso. Ao mesmo tempo, o ator Bruno Ahmed buscava uma comédia para produzir. Numa ligação, ambos decidiram realizar o projeto pela sua espantosa atualidade e por acreditarem que o humor é uma excelente forma de provocar reflexões.

“Para mim, a vida não acontece sem humor, nos bons e nos maus momentos. O humor é um instrumento ‘para toda obra’. Estamos acostumados a pensar de uma certa forma e a usar uma armadura no nosso dia a dia que o humor consegue romper porque chega de forma inesperada. É uma ferramenta que cria a graça, o riso, mas também nos faz pensar o porquê de estarmos rindo, ou não, daquela situação”, diz a atriz e idealizadora Paula Barros.

 SERVIÇO:
Temporada: De 5 a 29 de maio de 2022.
Horários: de quinta a sábado, às 19h; e domingo, às 18h.
Local: Teatro II – Sesc Tijuca (Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca.)
Bilheteria – Horário de Funcionamento: De terça a domingo, das 9h às 19h.
Duração: 60 minutos.
Telefone: (21) 4020-2101
44 lugares. 12 anos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here